Búzios quer se transformar na cidade mais inteligente do país

Cidade se torna referência em consumo eficiente e sustentável de energia elétrica

Por O Dia

Rio - Imagine desligar um aparelho que se esqueceu ligado em sua casa de veraneio à distância, pelo celular? Ou programar a limpeza da piscina antes de chegar lá? Em Armação dos Búzios, isso será possível dentro do projeto “Cidade Inteligente Búzios”, desenvolvido desde 2012 pela Ampla e prefeitura, que prevê a utilização de uma rede inteligente, integrando tecnologias tradicionais com modernas soluções digitais para melhorar a flexibilidade da rede e a gestão das informações.

A cidade já conta com medidores inteligentes de consumo de energia, chuveiros eficientes e geração de energia renovável (solar e eólica), além de luminárias de LED com pontos de luz telecomandados. Dispõe, ainda, de rede de wifi gratuita na Rua das Pedras e um posto de coleta de lixo reciclável do projeto Consciência EcoAmpla — onde é possível trocar recicláveis por descontos na conta de luz. Há quase um ano, foi lançado o Búzios Mobilidade Elétrica, para ampliar utilização de carros, táxis e bicicletas elétricas nas ruas.

Energia solar%3A a instalação de placas fotovoltaicas em escolas de Búzios é uma das ações do projetoDivulgação

Atualmente, já circulam pelas ruas do município quatro carros elétricos, dez bicicletas elétricas utilizadas pela Guarda Municipal, seis bicicletas para uso da Secretaria de Saúde para combate à dengue, 30 bicicletas elétricas para aluguel em posto turístico e um aquataxi elétrico, também movido a energia elétrica. Além disso, um posto de recarga já está disponível no Centro de Monitoramento e Pesquisa da empresa na cidade.

Pioneiro no Brasil e na América Latina, o projeto é um dos 66 que fazem parte do Programa Rio Capital de Energia, que pretende transformar o estado em referência no setor energético no país. “O projeto, que teve início em 2011, já traz para a cidade uma série de benefícios visíveis. É um projeto inédito de smart grid (energia inteligente) no Brasil, pelo qual todo o cabeamento de energia elétrica permite a transmissão de dados nas telecomunicações, entre outras vantagens”, disse Maria Paula Martins, coordenadora do Rio Capital da Energia.

Segundo ela, uma lei municipal aprovada recentemetne em Búzios garante que a residência, escola ou estabelecimento comercial ou industrial possa instalar um gerador fotovoltaico e gerar energia para consumir de dia ou à noite. Já existem atualmente oito painéis para geração solar e quatro para geração eólica instalados em residências e escolas.

“O projeto de Búzios também prevê iluminação pública inteligente com lâmpadas LED”, disse Maria Paula. De acordo com ela, existem estudos no estado para implantar este tipo de iluminação em outras cidades. Em todo o Brasil, 27 cidades brasileiras já estudam implementar o projeto.

Alto consumo de energia elétrica levou à escolha da cidade

A forte incidência de raios solares e os ventos constantes, além do alto consumo de energia elétrica, levaram Búzios a ser escolhida para implementar o projeto. “É uma cidade geograficamente pequena, com a quantidade de clientes adequados para o desenvolvimento de um projeto piloto, e por ter características naturais, como grande incidência de sol e ventos, o que favorece os testes de microgeração solar e eólica.

Além disso, o consumo de energia da cidade é bastante alto, quase três vezes a média de consumo do Brasil, o que pode ser projetado como a realidade do país como um todo em um futuro próximo”, disse o coordenador do Cidade Inteligente Búzios pela Ampla, Weulles Correia.

Segundo ele, a empresa está desenvolvendo diversas tecnologias em Búzios para entender como será o negócio da energia no futuro. A Ampla ainda não tem informações sobre a redução de energia já conquistada com estas medidas. As novas ações do projeto serão discutidas hoje no Rio, durante o “3º Seminário Nacional de Energias Renováveis e Eficiência Energética - Desafios e soluções para o Brasil produzir mais com menos”, no Centro Empresarial Rio. O Programa Rio Capital de Energia já conta com 33 parceiros, entre eles Petrobras, FGV e a recém-fundada Pré-Sal Petróleo S/A (PPSA).

Últimas de _legado_O Dia no Estado