Avô de menino morto após ser baleado no Cajueiro: 'O que vou fazer sem ele?'

O pequeno Ryan Gabriel, 4 anos, sonhava em ser soldado e aguardava ansiosamente a chegada de uma moto infantil, mas morreu após ser atingido por uma bala perdida neste domingo

Por O Dia

Ryan Gabriel%2C de apenas 4 anos%2C foi atingido no peito quando estava com o avô na calçadaReprodução TV

Rio - Taiane Pereira da Silva, de 20 anos, chorava copiosamente na porta do Instituto Médico Legal (IML), no Centro, no final da manhã desta segunda-feira. Mãe do pequeno Ryan Gabriel Pereira dos Santos, de apenas 4 anos, que morreu após ser atingido por uma bala perdida, no Morro do Cajueiro, em Madureira, Zona Norte da cidade, neste Domingo de Páscoa, a jovem era amparada por familiares e não tinha condições de dar entrevista. Ela foi ao local liberar o corpo do filho. Avô do menino, Nilton do Amparo, de 48 anos, conversou com a reportagem de O DIA e falou sobre a tragédia que destruiu sua família.

"Era domingo de Páscoa, ninguém podia imaginar que isso poderia acontecer. Estava cheio de crianças na rua, inclusive na calçada onde eu estava com meu netinho", contou Nilton. Antes das 17h, o avô de Ryan Gabriel ouviu um tiro. Ele pegou o neto pelo braço para tentar protegê-lo. Foi quando percebeu que o disparou havia atingido o menino. O tiro entrou pelas constas e saiu pelo peito da criança.

"Nós estávamos conversando sobre quem era o tchutchuquinho de quem. Eu disse que ele era o meu e eu o dele. Então, ele falou que eu não era mais o tchutchuquinho dele. Eu contestei e falei: 'Se você não é meu tchutchuquinho, então quem vai dormir comigo?'. Aí, ele voltou atrás e falou que era meu tchutchuquinho sim. Agora, o que vou fazer sem ele?", questionou Nilton do Amparo.

Avô de sete netos, o homem afirmou que Ryan Gabriel, morador do Morro da Mangueira, era o mais apegado a ele. "Pedia pra ir à casa do avô no Cajueiro toda sexta-feira. Ele dormia entre eu e minha esposa na cama", ressalta.

LEIA MAIS:

Morre menino baleado no Domingo de Páscoa no Morro do Cajueiro

Intenso tiroteio aterroriza bairros de Madureira, Campinho e Cascadura

Tiroteio assusta moradores na região do Complexo do Lins

Avenida Presidente Vargas tem tiroteio

Suspeito morre após trocar tiros com PMs na Avenida Brasil

Seis são presos na Vila Cruzeiro

Após ser atingido pelo tiro, Ryan Gabriel foi socorrido ao Hospital Getúlio Vargas, na Penha, onde, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, chegou em estado grave. Após perder uma grande quantidade de sangue, ele chegou a ser submetido a uma cirurgia para reconstruir uma veia, mas, na noite de ontem, sofreu uma parada cardíaca e morreu.

Coletivos foram incendiados em protesto após morte de criança no Cajueiro%2C em MadureiraReprodução / Twitter

Familiares contaram que o menino sonhava em ser soldado e estava esperando ansioso a chegada de uma moto infantil, que já era para ter sido entregue, mas que ainda não foi em função de problemas com a distribuição. A família está processando a loja. "Vai ter audiência agora no início de abril. Se ganharmos, não adianta de nada, pois não tivemos nem a oportunidade de ver esse sorriso no nosso tchutchuquinho. Ainda não há informações sobre o velório e do enterro do garoto.

A morte do menino Ryan Gabriel será investigada pelo delegado Niandro Ferreira, titular da 29ª DP (Madureira), que instaurou inquérito para apurar as circunstâncias em que o garoto foi baleado. Policiais civis realizam diligências para esclarecer o crime.

Protesto em Madureira

Moradores do Morro do Cajueiro realizaram um protesto, no início da tarde, na Avenida Ministro Edgard Romero, uma das principais vias do bairro. Os dois sentidos da via chegaram a ser interditados, na altura da Rua Leopoldino de Oliveira.

Os manifestantes bloquearam a via com pneus e outros objetos, atearam fogo em pelo menos dois ônibus e também na estação estação Madureira/Manaceia. A estação Otaviano também foi depredada. Equipes do Corpo de Bombeiros e do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) se deslocaram até o local. Ainda não há informações sobre feridos.

Segundo o Centro de Operações da Prefeitura, o tráfego é lento no trecho. O desvio, no sentido Vaz Lobo, deve ser feito pela Rua Oliva Maia.

Manifestação em MadureiraReprodução / Twitter
Protesto em MadureiraReprodução / Twitter
 

MANIFESTAÇÃO EM MADUREIRA (13H41) | Manifestação interdita os dois sentidos da Av. Ministro Edgard Romero, altura da Rua Leopoldino de Oliveira. No sentido Vaz Lobo, o tráfego é desviado pela Rua Oliva Maia.

Publicado por Centro de Operações Rio em Segunda, 28 de março de 2016


Colaborou Tiago Frederico


Últimas de Rio De Janeiro