Hospedagem alternativa é opção para quem quer gerar renda extra

Estadia mais barata também é proveitosa para hóspede, que pode vivenciar experiências locais

Por O Dia

Rio - Com a crise batendo na porta e apertando o orçamento dos brasileiros, viajar para qualquer lugar tem sido um grande obstáculo. Os gastos com passagem, hospedagem e alimentação acabam fazendo com que muitas pessoas cancelem os planos de conhecer determinados lugares. Para driblar essa questão, as hospedagens alternativas têm sido uma opção justa tanto para quem precisa de um local para ficar, como para quem "empresta" sua casa temporariamente.

O anfitrião Evandro largou seu trabalho para viver só da renda de hospedagem alternativaKarilayn Areias / Agência O Dia

É o caso de quem aluga cômodos de seus imóveis ou até mesmo a própria casa para receber hóspedes. Os chamados "anfitriões" compartilham experiências e tem a missão de fazer com que a pessoa se sinta em casa. Nesse período olímpico, teve gente faturando alto. Com um preço mais em conta na diária, na hospedagem alternativa o turista pode viver como uma pessoa local, economizar na estadia e usar a renda que seria destinada à hospedagem para outros objetivos.

Parceiro oficial de acomodação alternativa dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a Airbnb movimentou mais de R$ 325 milhões só na Cidade Maravilhosa. Deste valor, R$ 100 milhões correspondem à renda direta gerada para os anfitriões.

Anfitrião pela Airbnb há 5 anos, Evandro compartilha três quartos da casa onde mora em Santa Teresa e por conta de sua experiência e da renda adquirida, deixou de ser coordenador de CallCenter para atuar neste ramo. "O retorno financeiro foi excelente, não há um período que a gente não tenha hóspede. Larguei meu trabalho formal para atuar só com a Airbnb". Evandro acrescenta que faz a atividade por amor e que fica à disposição dos turistas, atuando como um guia.

O retorno financeiro relatado pelo anfitrião também é constatado pela plataforma, já que cerca de 85 mil hóspedes passaram pelo Rio durante as olimpíadas com a diária custando em média de R$ 178 por pessoa.

Leonardo Tristão%2C diretor-geral do Airbnb no Brasil, comenta sobre o crescimento de brasileiros na procura por hospedagens alternativasKarilayn Areias / Agência O Dia

"Viajantes brasileiros descobriram uma nova forma de viajar, uma experiência autêntica, positiva e segura.Nossa grande aposta agora é a hospitalidade natural do povo brasileiro como forma de promover o turismo", disse Leonardo Tristão, diretor-geral da Airbnb no Brasil. 

Últimas de Rio De Janeiro