Policial militar de folga é morto em São João de Meriti

Segundo sargento tentava apartar briga em clube quando foi assassinado. Além do PM, um outro homem morreu e uma mulher foi baleada

Por O Dia

O PM estava de folga quando foi assassinadoDivulgação

Rio - O fim de semana terminou com mais um policial militar morto no Rio. O sargento Cristiano da Anunciação Macedo, 40 anos, lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), foi assassinado a tiros no fim da madrugada deste domingo, em uma confusão durante uma festa no Fazenda Futebol Clube, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Ele é o décimo PM morto nos primeiros 15 dias de 2017. Outro homem morreu e uma mulher foi baleada no incidente.

O crime ocorreu por volta das 5h. De acordo com a PM, testemunhas contaram que o sargento, que estava de folga, teria tentado separar uma briga e acabou baleado. Ele foi levado para Posto de Atendimento Médico (PAM) de Meriti, mas não resistiu aos ferimentos. Segundo o Corpo de Bombeiros, Joice Kelly de Jesus Dias, 20 anos, foi socorrida na mesma unidade. Não há informações de seu estado de saúde. O outro baleado, Wallace dos Santos Pires, morreu no local.

No PAM, Joice teria relatado a PMs do 21º BPM (São João de Meriti) que ocorreu uma discussão entre o sargento e um homem. Wallace teria tentado intervir. O suspeito sacou uma arma e fez disparos contra os dois, ferindo ela também e fugindo. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fez perícia e investiga o caso.

O sargento Macedo estava há 18 anos na Polícia Militar e deixa a esposa. A Polícia Civil informou que “um procedimento foi instaurado na Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) para apurar as mortes do policial militar Cristiano da Anunciação Macedo e de Wallace dos Santos Pires, ocorridas nesta madrugada, 15 de janeiro, na Rua Presidente Lincoln, Jardim Meriti, São João de Meriti”.

Pela manhã, um grupo de manifestantes foi à Praia de Copacabana para protestar contra as mortes de policiais e a falta de segurança e condições precárias de trabalho dos agentes das polícias Civil e Militar. Os manifestantes seguraram faixas com frases do protesto e fincaram na areia cruzes que simbolizam os agentes mortos em serviço. Além disso, bonecos foram colocados nas areias simbolizando policiais militares fardados.

Manifestantes fizeram ato na praia de Copacabana em memória de policiais mortos Divulgação / Muspe

‘Metade de mim se foi’

Foi sepultado neste domingo, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, o sargento PM Fábio Magalhães, 44 anos, do 14º BPM (Bangu). O policial morreu sábado, após ter sido baleado em ação de trânsito, na sexta-feira, na Vila Kennedy. Ele estava no Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo.

No Facebook, o filho dele lamentou a perda. “Te amo hoje e te amarei pelo resto da vida. Uma metade de mim se foi, é uma ida sem explicação”, diz um trecho. Na publicação, o jovem acrescentou que ele era “um grande guerreiro, de coração muito bom”. “Mesmo sabendo que a vida um dia acaba, a gente nunca está preparado para perder alguém que amamos muito”, completou.

Cruzes também foram fincadas nas areias da praia de CopacabanaDivulgação

?Colaborou a estagiária Marina Cardoso

Últimas de Rio De Janeiro