Igreja é atacada sete vezes nos últimos dois anos

Templo em São Gonçalo foi roubado duas vezes desde sábado. Padre: 'Há perigo em todo lugar'

Por O Dia

Rio - A Igreja de São Gonçalo do Amarante, no Centro de São Gonçalo, foi vítima de ações de bandidos duas vezes em dois dias. Ontem, à tarde, quando a equipe do DIA chegava ao local para apurar o roubo à paróquia ocorrido na noite de sábado para domingo, outro assalto havia acontecido 15 minutos antes. Só nos últimos dois anos, a igreja foi assaltada sete vezes

No caso deste fim de semana, dois homens armados em uma moto abordaram outro motociclista que saía do estacionamento da igreja, por volta das 14h. Segundo o manobrista Maicon Ruan, de 26 anos, que trabalha no local, os homens levaram colar, celular e R$ 300 da vítima.

Igreja São Gonçalo do Amarante tem mais de 400 anos e tem peças de valor histórico%2C que atraíram bandidosMárcio Mercante / Agência O Dia

“Aqui há muito pouco policiamento. Estamos no Centro, teria que ter mais homens. Na praça, a uns 500 metros daqui, tem uma cabine da Guarda Municipal mas eles ficam lá dentro, não adianta”, contou Ruan.

Responsável pela Paróquia, o padre André Luis Siqueira não acredita que a igreja tenha se tornado alvo de assaltantes, para ele, o perigo está em todo lugar. “O estado inteiro está exposto, não é só aqui”, diz. Quanto à ação dos assaltantes no fim de semana, o padre acredita que os envolvidos sejam usuários de droga ou moradores de rua, perfil muito comum naquela localidade.

“Levaram apenas celulares e dinheiro. Computador não levaram, não mexeram no sistema de som. Não estamos falando de uma quadrilha especializada. Foi só o dano material”, conta o padre, que acrescentou que não havia ninguém no local.

Porta da igreja agora é trancada com pelo menos três cadeadosMárcio Mercante / Agência O Dia

A igreja, que data do século 17, está em processo de restauração e, para o padre André Luis Siqueira, não é viável investir em segurança. “Colocar uma equipe de segurança não é tão simples, tem um custo alto. Talvez no futuro, hoje não temos como pagar. Só de área plana são mais de 7 mil metros quadrados, sem contar a área do morro que fica atrás”, explica o Padre, que até hoje não tem informações sobre as investigações dos últimos assaltos no local.

O caso foi registrado na 72 DP (São Gonçalo). O delegado titular, Flavio Narciso, já recebeu as imagens das câmeras de segurança do local e investiga o caso. Durante a perícia, sua equipe não encontrou vestígios de digitais. Quem tiver informações e puder colaborar com o caso, a 72ª DP disponibiliza um canal via WhatsApp através do número (21) 99020-0048.

Como medida mais concreta e imediata, do ponto de vista do pároco, para ajudar a diminuir os assaltos naquela região ele vai criar um projeto para atendimento à população de rua. “Claro que quem fez isso (assalto) deve pagar, mas nós aqui da igreja não queremos pagar o mal com mal, queremos ajudar essa população”, conclui o pároco.

Roubo na Fazenda Colubandê

No dia 28 de janeiro, foi descoberto um roubo à Capela de Sant’Anna, na Fazenda Colubandê, em São Gonçalo. O retábulo, espécie de moldura que forma o altar da igreja foi grosseiramente arrancado do lugar. A peça dourada do século 18 é feita em madeira, mas tem valor histórico. Estudioso da Fazenda Colubandê desde 2010, o historiador Luciano Tardock acredita que a peça tenha sido levada para o mercado clandestino.

Últimas de Rio De Janeiro