Líder de seita religiosa é preso em Petrópolis

Além do homem, outros dez suspeitos de lavagem de dinheiro, estelionato e organização criminosa foram presos

Por O Dia

Rio - Onze suspeitos de lavagem de dinheiro, estelionato e organização criminosa, foram presos em Petrópolis, na Região Serrana, durante uma operação da Polícia Civil nesta sexta-feira. De acordo com os agentes, o principal alvo da ação foi Donato Brandão Costa, líder de uma seita religiosa e condenado no Maranhão a mais de 30 anos de prisão.

Segundo as investigações da 105ª DP (Petrópolis), a doutrina conhecida como brandolismo, foi fundada em meados dos anos 90 por Donato, também no Maranhão, e usava empresas de fachada, além de ações judiciais para obter grande quantidade de dinheiro. O grupo teria conseguido em dois processos o valor de R$ 154 mil por danos materiais e morais.

Em apenas três anos, a organização teria ingressado com 33 ações judiciais e simuladoO prestações de serviços pelos próprios membros da seita, criando gastos fictícios para pleitear o pagamento em juízo.

De acordo com a polícia, os investigados também possuíam em uma zona nobre da cidade, uma faculdade. A instituição de ensino também foi utilizada para a prática de golpes, os agentes estimam que com uma única turma de pós graduação em psicanálise o grupo lucrou R$165 mil. 

A lavagem de dinheiro praticada pelos investigados foi comprovada pela quebra de sigilo bancário e fiscal, demonstração de falsa prestação de serviço para empresas de fachada, compra de carros de luxo em nome de laranjas e falsas doações em espécie.  

Donato possui ainda outras condenações no estado de São Paulo. Ele foi condenado a aproximadamente 37 anos e 8 meses de reclusão por lesão corporal gravíssima contra menores, falsificação de documento público, parto suposto, estelionato, dentre outros crimes. Outras duas mulheres com mandados de prisão pendentes estão fora do país.


Últimas de Rio De Janeiro