Festa de Anísio tem famosos e show de Alcione

O evento de R$ 1 milhão foi regado a salmão, lagosta, uísque e champanhe francês Veuve Clicquot, que custa R$ 280 a garrafa

Por O Dia

Rio - Um bolo pirotécnico, com direito à réplica da Marquês de Sapucaí com bonequinhos representando integrantes da Beija-Flor e buffet para lá de requintado marcaram a comemoração dos 80 anos do bicheiro Aniz Abrahão David, o Anísio, no badalado espaço do Museu de Arte Moderna (MAM), no Aterro do Flamengo, na noite de quarta-feira.

Os comes e bebes foram regados a salmão, bacalhau, lagosta, risoto de funghi, uísque, vodca, como absolute e a russa Stolichnaya, além de Veuve Clicquot, champanhe francês, que custa R$ 280 a garrafa.

Alcione chega ao MAM onde se apresentou na festa do contraventorDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

À boca miúda, como O DIA publicou com exclusividade terça-feira, o capo gastou R$ 1 milhão. Um dos mais empenhados no evento que contou com bênção de padre Jorjão era o Marcelo Misailidis, um dos profissionais mais renomados do carnaval quando se fala em comissão de frente. Ele comandava os movimentos do bolo de três andares.

Como uma alegoria, o terceiro andar tinha grafado 80 anos. O zero se transformava em um tela de cinema onde fotos desde a infância do contraventor eram apresentadas.

A festa era para no mínimo 400 convidados, mas houve uma baixa significativa entre os que confirmaram presença e foram efetivamente. Outro poderoso da cúpula da jogatina, Aílton Guimarães Jorge, mais conhecido como Capitão Guimarães, prestigiou o evento e não saía do lado de Anísio. Entre as celebridades, Edson Celulari, Cláudia Raia, Milton Cunha e, claro, Neguinho da Beija-Flor.

A comemoração começou com a cantora Alcione interpretando a música As Rosas Não Falam de mestre Cartola. Depois o samba bombou ainda tinha um Lounge, com sofás para quem não quisesse ficar na formalidade da mesa. Outro ponto alto do rega-bofe foi a decoração feita com plantas tropicais, velas, flores, que enfeitavam até os banheiros. Tudo sob a batuta do mestre de cerimônia Roberto Cohen.

Anísio está livre leve e solto aos olhos da Justiça. Tem decisão que permite até que o bicheiro viaje. Pendentes estão dois processos. Uma condenação a 48 anos e oito meses e 15 dias de prisão na Justiça Federal e ação que tramita na vara criminal de Teresópolis por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Últimas de Rio De Janeiro