Grávida que foi atropelada por bandidos na Zona Norte presta depoimento

Caso aconteceu na madrugada de segunda-feira em Higienópolis

Por O Dia

Rio - A grávida atropelada e roubada por bandidos em Higienópolis na madrugada de segunda-feira (10) prestou depoimento na 21° DP (Bonsucesso) na manhã desta terça. Segundo o delegado que investiga o caso, Wellington Veira, Flavia Ahrens Moreira está muito abalada, mas conseguiu descrever como eram os criminosos. 

"O marido viu o que o esfaqueou e a mulher viu o motorista. Faremos um retrato falado dos criminosos e divulgaremos esses desenhos. Estamos contando com a colaboração da polução para achá-los", disse o delegado. 

Ainda de acordo com a polícia, após o depoimento de Flavia foi possível constatar que o atroplemaento foi proposital e que o suspeito deverá ser enquadrado no artigo 157, parágrafo 3 do Código Penal, cuja a pena em caso de condenação pode variar de 7 a 15 anos de prisão. 

A polícia também desconfia que os bandidos façam parte de uma quadrilha que atua na região e suspeita que eles façam uso de carros não roubados durante as ações. 

Flávia foi atropelada e roubada por bandidos, na Rua Santa Mariana, em Higienópolis, durante a madrugada de segunda. Ela estava grávida de três meses, mas devido ao acontecimento perdeu o bebê. 

Na ocasião do crime, Flavia estava acompanhada do marido, que levou uma facada na mão esquerda, e do enteado de dez anos. O menino não se feriu e os bandidos conseguiram fugir. 

Rapaz esfaqueado

Um outro caso também intriga a polícia. No mesmo dia do atropelamento de Flavia, um rapaz foi esfaqueado por dois rapazes dentro de um carro prata próximo ao local em que a grávida foi ferida. De acordo com a polícia, os dois casos podem ter ligação. 

"Ainda não temos muitas informações sobre esse novo caso, mas policiais irão conversar com a vítima para verificamos se tem ou não relação", disso o delagado.

A vítima, que não teve a identidade revelada, está internada no Hospital Getúlio Vargas, na Penha. 

Últimas de Rio De Janeiro