Estátua de Carlos Drummond de Andrade volta a ser vandalizada em Copacabana

Câmera de segurança registra momento em que homem arranca os óculos da estátua com o chute e rouba o pedaço quebrado

Por O Dia

Rio - A estátua do poeta Carlos Drummond de Andrade, na orla de Copacabana, na Zona Sul do Rio, voltou a ser alvo de vandalismo. Imagens de uma câmera de segurança mostram o momento em que um homem chuta o monumento, na última sexta-feira. Com o impacto, os óculos são arrancados e levado pelo criminoso.

A imagem foi enviada pelo Núcleo de Videopatrulhamento da Guarda Municipal à Policia Civil para auxiliar na investigação, que está sendo conduzida pela 13ª DP (Ipanema). Foi instaurado procedimento para apurar crime de dano ao patrimônio público. Os agentes estão analisando as imagens de câmeras de segurança para que possam identificar o criminoso. Desde 2012, foram registrados quatro furtos de partes da estátua mas o número pode ser maior.

Segundo a Fundação Parques e Jardins (FPJ), a renovação da empresa que adotou a estátua está sendo discutida. O termo de compromisso foi iniciado em 2008 e interrompido em janeiro do ano passado. 

Por ter ultrapassado o limite máximo para renovação automática de 30 dias após o vencimento, apesar de a empresa te interesse, será necessária publicação de edital no Diário Oficial do município para outras empresas possam participar.

O processo de licitação deve durar cerca de 45 dias. Desde o fim do compromisso da empresa que cuidava do monumento, a manutenção está sendo feita pela Gerência de Monumentos e Chafarizes da Seconserma, que vai avaliar a reposição imediata dos óculos.

Turistas lamentam vandalismo

Duas amigas que vieram de João Pessoa, na Paraíba, e estão há quatro dias no Rio, lamentaram a destruição da estátua. Elas voltam amanhã com o registro, mas com a sensação de faltar algo na imagem.

"Eu sempre vi lá no meu estado a foto do Drummond e sempre tive vontade de tirar uma foto com ele. Hoje quando cheguei aqui vi que estava sem os óculos. É um pouco triste!", disse a designer Simone Melo, de 37 anos.

De novo%3A estátua de Carlos Drummond de Andrade voltou a ser vandalizada em CopacabanaSeverino Silva / Agência O Dia

A confeiteira Elaine Negreiros, 37, amiga de Simone, também reforça o coro. "É lamentável o que fizeram e a gente sabe que não é a primeira vez, nem será a última".

Morador de Copacabana, o aposentado José Macedo, de 60 anos, critica a falta de zelo com o patrimônio público. "É um absurdo destruir o patrimônio público. Porque a pessoa que faz isso não senta e aproveita essa bela paisagem. E revoltante saber que não é a primeira nem será a última", reclamou.

Últimas de Rio De Janeiro