Cabo Frio quer a volta dos transatlânticos

Cidade quer incrementar turismo e servir de rota de cruzeiros marítimos para gerar R$ 6 milhões na economia

Por O Dia

Rio - Cabo Frio quer voltar a ser rota dos cruzeiros marítimos. A intenção é fazer com que os transatlânticos passem a atracar novamente no terminal da cidade já na temporada 2017/2018, que acontece entre os meses de novembro e abril. A expectativa é que pelo menos dez embarcações passem pela cidade, gerando cerca de R$ 6 milhões na economia do município.

De acordo com a secretária de Turismo Fabíola Bleicker, os cruzeiros têm importância fundamental no crescimento econômico os municípios. Ela cita que, segundo cálculos da Associação Brasileira de Empresas Marítimas — Abremar —, cada cruzeirista gasta, em média, R$ 200 durante a permanência no destino, aumentando a arrecadação das cidades.

Prefeitura quer que até dez embarcações atraquem no terminal da Praia do Forte na temporada 2017/2018Arquivo O Dia

“Cabo Frio é o município polo da Costa do Sol, possui um terminal de transatlânticos e ainda abriga ampla infraestrutura de serviços, além de belezas naturais e 280 dias de sol por ano, uma das maiores médias do Brasil”, destaca a secretária. 

Fabíola Bleicker ressalta que a cidade de Cabo Frio já está comprometida em fazer todas as adequações necessárias para a temporada 2017/2018 que são de natureza logística. Ao mesmo tempo, a secretária lembra que ainda há alguns entraves para o crescimento do setor. “A questão nacional é mais complexa.

A precária infraestrutura portuária de terminais de passageiros, o alto custo de operação nos portos — 40% a mais que a média no mundo — e a onerosa e excessiva carga tributária brasileira, além da legislação trabalhista, têm tirado os transatlânticos do Brasil”, avalia. 

Na China, por exemplo, em 2017, são 52 navios em operação, enquanto a Austrália está recebendo 36 transatlânticos e um milhão de turistas. Já a temporada brasileira de cruzeiros está com apenas sete navios, onde serão transportados pouco mais de 350 mil pessoas. “Em 2010, o Brasil contava com 20 transatlânticos em operação e chegou a transportar mais de 700 mil turistas”, exemplifica Fabíola Bleicker.

Além do retorno dos cruzeiros marítimos, a secretária garante que a prefeitura trabalha no sentido de traçar novas diretrizes para o turismo na cidade, mas juntamente com empresariado do setor. “Acreditamos no turismo sustentável econômica, ambiental, cultural e socialmente, envolvendo também os empresários e todas as comunidades de Cabo Frio”, conta Fabíola Bleicker.

Últimas de Rio De Janeiro