MP aponta déficit de policiais

Por O Dia

Duas inspeções do Ministério Público no Batalhão de Angra dos Reis apontaram déficit de policiais em relação ao tamanho do território de patrulhamento, com mais de 2 mil quilômetros quadrados. Pelos municípios de sua responsabilidade passam 180 quilômetros de rodovias, usadas como rota pelo tráfico internacional de drogas e armas.

Um dos promotores escreveu que "a unidade está sem rádio, pois o antigo sistema analógico parou de funcionar". A comunicação dos 526 policiais existentes é feita por aplicativos de celular.

Em abril, para tentar frear a violência, o comandante-geral da PM colocou no comando da unidade o coronel Castro Maia, que tinha experiência na Maré, São Cristóvão e UPPs.

No seu comando, o número de apreensão de maconha dobrou (passou de 53 kg no primeiro semestre para 108 no segundo); 149 armas foram apreendidas (três fuzis) e 529 pessoas presas. Com mais operações, o número de confrontos também cresceu. Na semana passada, Castro Maia foi escolhido para assumir o Batalhão de Olaria.

O novo comandante de Angra irá enfrentar a expansão de milícias. A que era comandada por Carlos Alexandre da Silva Braga, o Carlinhos Três Pontes, na Zona Oeste, vem buscando expandir seus domínios para a Costa Verde, principalmente na região do Frade, onde conflitos tem sido registrados constantemente.

Comentários