Lierj sorteia módulos dos julgadores dos desfiles da Série A

Grupo terá 18 novos profissionais, de um total de 40, avaliando a apresentação das escolas nos dois dias de apresentação

Por O Dia

Rio - A Lierj realizou, nesta quinta-feira, o sorteio dos módulos dos julgadores para o desfile da Série A para o Carnaval deste ano, que acontece nos dias 28 de fevereiro e 1º de março. A bancada foi formada por Gustavo Mostof (Diretor de Operaçõs da Riotur), José Sá (Presidente da Riotur), Jorge Castanheira (Presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, a Liesa), Déo Pessoa (Presidente da Lierj), Renato Thor (vice-presidente) e Moacyr Barreto (Diretor de Operações da Lierj).

Os dirigentes das 17 agremiações que vão disputar o título também marcaram presença no evento. A ordem do sorteio, por quesito, foi: Enredo, Conjunto, Alegorias e Adereços, Comissão de Frente, Samba-Enredo, Harmonia, Evolução, Bateria, Fantasias e Mestre-sala e Porta-Bandeira. Cada julgador foi até a bancada para sortear o número que, simultaneamente, foi dando a ordem dos nomes.

Dos 40 julgadores, apenas um não pôde comparecer ao evento: Jardel Maia, de Harmonia. À pedido dos presidentes da Liesa e da Lierj, nenhum julgador foi liberado para conceder entrevista à imprensa.

Lierj realizou sorteio dos módulos dos julgadores Rodrigo Hang / Agência O DIA

O presidente da Lierj, Déo Pessoa, exaltou o esforço das diretorias e das comunidades das agremiações que têm limitações nos orçamentos, mas mesmo assim não perdem o foco e trabalham para que a escola faça uma grande apresentação na Sapucaí. O mandatário também comentou a importância da presença de grandes escolas na Série A.

"A gente está indo para este segundo ano nesse novo modelo de Carnaval do antigo Grupo de Acesso, hoje Série A, e as escolas já estão com seus trabalhos na reta final, quase todos concluídos. Mesmo com a dificuldade financeira que existe dentro desse grupo, as escolas conseguem, através de sua diretoria, de seus profissionais, e de sua comunidade, desenvolver um trabalho que permita ter beleza e alegria. Diversas escolas que já estiveram no Grupo Especial, agremiações tradicionais, com certeza vão continuar dando beleza a essa magnitude da festa", afirmou Déo, que também falou sobre os 18 jurados que vão exercer a função no Sambódromo pela primeira vez.

"Quando passa um Carnaval, a gente analisa as justificativas, as notas dadas por cada julgador. Em alguns casos a gente acha justo. Quem faz essa coordenação de escolha é a Riotur. A mudança de alguns julgadores deve ter sido por alguns casos de impossibilidade atualmente dos que já foram julgadores ou até mesmo questões de substituição", declarou.

Parceria entre Liesa e Lierj

Durante o sorteio, pôde-se notar a boa relação da Liesa com a Lierj. O presidente da Associação que organiza o Carnaval do Rio, Jorge Castanheira, elogiou o trabalho a função da Riotur de aproximar as duas Ligas e revelou seu desejo de ver o maior espetáculo se consolidando como um prestigiado espetáculo artístico essencialmente carioca.

"A Riotur tem conseguido fazer este intercâmbio (entre a Liesa e a Lierj). Eu, que sou responsável pelos jurados do Grupo Especial, quanto do Grupo de Acesso, me sinto com a responsabilidade maior de poder transformar o espetáculo cada vez mais num produto cultural da nossa cidade, do nosso país, e, com o apoio da imprensa, levar também a todas as pessoas o que tem de beleza e talento na riqueza nossa e dos nossos artistas do Carnaval", afirmou o mandatário da Liesa.

Déo e Thor posam com o troféu de campeão da Série ARodrigo Hang / Agência O DIA

Moacyr Barreto, diretor de operações da Lierj, falou que fechamentos de ruas e até as obras para remoção da Perimetral dificultam a organizar a preparação de um bom espetáculo, mas que todos estão trabalhando em conjunto para poder resolver as situações.

"É complicado, em função de todas as transformações que a cidade está sofrendo. No momento, tem fechamento de rua, abertura de túnel, a queda da Perimetral, tudo isso interfere. A logística de trazer as alegorias dos barracões para o Sambódromo e depois levar de novo para o barracão é muito complicado. Mas a gente está numa grande expectativa. Estamos tendo um bom apoio do poder público, da Liesa, para que a gente possa fazer o melhor Carnaval possível" revelou Moacyr.

Ele também explicou o regulamento para desempate deste ano e disse que atualmente, qualquer quesito pode ser crucial para decretar o vencedor do desfile.

"Antigamente tinha uma hierarquia de quesitos, no caso de desempate. Hoje em dia é feito um sorteio na sede da Lierj na Quarta-feira de Cinzas, que define a ordem da abertuda dos envelopes. O a ser aberto é o primeiro quesito de desempate, e assim por diante. Então, hoje qualquer quesito pode definir o Carnaval", concluiu o diretor da Lierj.

Império Serrano confiante

Campeão nove vezes do Carnaval, o Império Serrano está na Série A desde 2010. Vestindo uma camisa da escola com o número 82 nas costas, uma alusão ao último título da Verde e Branca, conquistado antes da "Era Sambódromo", o presidente Atila falou da expectativa para este ano.

"Estamos ansiosos e animados. A escola está um pouquinho mais tranquila, porém mais comedida e se policiando para fazer um Carnaval mais plástico, mais belo, com um chão mais técnico e mais eficiente para conquistarmos as notas. Estamos na linha de consertar os setores que perdemos ano passado. Foi uma derrota por detalhes, por quatro décimos em carro alegórico. A mudança (do ano passado para este ano) não foi muito radical", disse Atila, que ainda falou da grandeza da agremiação de Madureira e a comparou com um time popular carioca.

"O lugar do Império é no grupo especial. Temos quatro mil sócios assíduos, pagantes. Nenhuma escola tem isso, nem a Mangueira. O Império Serrano tem Arlindo Cruz, João Bosco, Dona Ivone Lara, e tantos outros bambas. O Império é um Flamengo. Então a cobrança é muito grande. Temos que pensar em título, mas sobe só uma, né?", concluiu.

Últimas de Carnaval