Famosos choram e até se machucam na nova temporada do ‘Saltibum’

Quadro do 'Caldeirão do Huck' é um verdadeiro desafio para os artistas

Por O Dia

Rio - A dez metros de altura da água, eles tremem na base. O suor, o medo, as pernas bambas e a ansiedade não contam a favor dos participantes da segunda temporada de ‘Saltibum’, que estreia no sábado, no ‘Caldeirão do Huck’. A disputa consiste nos melhores saltos ornamentais feitos a três, cinco, sete e dez metros de altura em uma piscina, e vai premiar com um carro zero quilômetro o campeão.

No elenco feminino, Ana Carolina Dias, Carol Nakamura, Érika Januza, Gracyanne Barbosa, Priscila Fantin, Thaeme e Yanna Lavigne lutam pelo primeiro lugar. No time masculino, Jacaré, Jesus Luz, Jonatas Faro, Leandro Lima, Rodrigo Simas e Tande disputam as notas dos jurados.

Na fileira de trás%2C Leandro%2C Jacaré e Tande. No meio%2C Erika %2C Yanna%2C Thaeme%2C Ana Carolina%2C Jonatas e Gracyanne. Na frente%2C Priscila%2C Simas e Jesus Luz com Luciano HuckDivulgação TV Globo

Quem vê Gracyanne, toda musculosa e ‘rata de academia’, até pensa que ela pode ter alguma vantagem em relação aos seus oponentes, mas ela afirma que sua forma física atrapalha mais do que ajuda. “O peso da minha perna e o tamanho do meu bumbum dificultam. Não sei nem por que me chamaram para participar, porque tudo meu conta contra”, diverte-se a musa fitness, que tem um popozão de 102 cm.


“Soube que as bundudas que saltam profissionalmente fazem até lipo para o salto ser mais perfeito e espalhar menos água quando o corpo bate na água. Na academia, eu faço bumbum na nuca, aqui eu faço bumbum pra dentro”, diz ela, aos risos.

Acostumada a tomar banho de baldinho quando vai à praia por não saber nadar direito, Gracyanne confessa que não teve medo de aceitar o desafio. “O Belo (marido dela) foi supercontra, porque sabia do meu medo de água. Nem deixei ele me assistir na primeira semana de gravação, para ele não ver que eu estava nervosa. Até chorei”, revela Gracy, que chegou a fraturar uma costela durante os treinos, mas logo voltou à competição.

Jacaré também não teve vantagem com sua habilidade na dança para a nova experiência. “A dança não é esporte. Isso aqui é um esporte olímpico, tem que ser atleta, ouvir os técnicos. A água dá uma surra na gente, machuca, ela dá porrada nas nossas costas, na barriga, tenho medo de me machucar”, admite Jacaré.

“Sou um frouxo. Chorei quando vi a dificuldade dos dez metros. Se eu passar das etapas, só vou pular dos dez metros no dia da competição”, acrescenta. A verdade é que Jacaré já tem a manha de como facilitar o salto. “Tem umas posições que a gente faz que ajudam muito, uma delas é o trava-bunda, que é deixar o pé esticado, colocar o cóccix pra dentro e travar o abdômen. Ela ajuda a não vazar muita água”, acredita o dançarino.

Já Tande gasta toda a sua energia durante os treinos. Como um ex-atleta, ele sabe bem que a perfeição só vem com os treinamentos. “Não sou muito corajoso. Vou indo aos poucos. Costumo brincar dizendo que a minha escola de samba vai passar sem muito investimento, mas a bateria não vai atravessar nem o carro alegórico vai quebrar”, compara Tande.

Luciano Huck bem que tenta encorajar seus participantes, mas é direto quando questionado se teria coragem de saltar do nível máximo (dez metros): “Não! Uma vez pulei da altura de cinco metros e fiquei com o ouvido entupido durante uma semana”, relembra o apresentador. Diante de um grupo bem eclético, Huck prefere não revelar seus favoritos: “Esse elenco é um sucesso. Tem cantora e até campeão olímpico. Também é curioso ver a Gracyanne.”

Últimas de Televisão