Começa hoje saque das contas inativas do FGTS

Redes do comércio varejista farão campanhas para que consumidores usem os recursos liberados para comprar em suas lojas

Por O Dia

Rio - Os trabalhadores que têm contas inativas do FGTS e nasceram nos meses de janeiro e fevereiro poderão sacar o dinheiro a partir de hoje. As agências da Caixa abrem duas horas mais cedo para o atendimento. Já amanhã, algumas unidades do banco funcionarão das 9h às 15h. Em todo o estado são 164 e na capital, 78.

De olho nos recursos que serão injetados na economia, cerca de R$ 46 bilhões,as grandes redes varejista apostam em promoções para atrair consumidores. O Walmart lançou, por exemplo, campanha para o período de saque que termina em 31 de julho, com mais de 3 mil itens. A estratégia é “leve três e pague dois”.

Já o Extra dará descontos especiais em eletroeletrônicos com o objetivo de ajudar a renovar os ambientes da casa. Para garantir o poder de compra, o cliente pode parcelar os itens em até 20 vezes no cartão da rede.

“Com a oportunidade de ter um dinheiro inesperado na mão, a rede também reforça seu papel de parceiro do cliente ao orientar a utilização dessa renda de forma inteligente, sem se endividar e aproveitando as melhores oportunidades que o Extra oferece”, explica Eandres Aguiar, gerente de marketing da empresa.

A Via Varejo, dona das bandeiras Ponto Frio e Casas Bahia, terá ofertas para quitar dívida no carnê e promoções nas lojas físicas e online até o Dia do Consumidor, no dia 15. “Fizemos pesquisas para identificar as necessidades dos clientes e desenvolvemos iniciativas pensando na jornada de decisão dele”, explica Othon Vela, Diretor de Marketing.

A rede também contará com consultores para tirar dúvidas e verificar o saldo de resgate do FGTS, entre os dias 9 de março e 7 de abril, em mais de 180 unidades.

O consultor de varejo do grupo Azo, Marco Quintarelli orienta que o consumidor deve ficar alerta sobre os gastos desnecessários. “Esse dinheiro precisa ser muito bem cuidado para não dar dor de cabeça lá na frente. É necessário investir de uma maneira adequada”, orienta.

Últimas de Economia