Fifa decide doar 48 relógios dados como presente pela CBF a dirigentes

Cada relógio é avaliado em R$ 94 mil

Por O Dia

Suíça - O Comitê de Ética da Fifa decidiu nesta quinta-feira doar a uma ONG 48 dos 65 relógios que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ofereceu como presentes a cartolas no 64ª Congresso da Fifa, antes da Copa do Mundo de 2014. No dia 18 de setembro de 2014, o órgão de instrução do comitê concordou em não abrir um procedimento formal contra os dirigentes que tinham recebido os relógios com a condição de que eles fossem devolvidos, lembrou a Fifa em comunicado.

Na mesma nota, a Fifa esclareceu que, após ter investigado o caso a fundo, o Comitê de Ética concluiu que nem todos os 65 relógios presenteados pela CBF foram entregues aos dirigentes. Por isso, apenas 48 deles foram devolvidos. Não se sabe o destino dos demais. Os presentes foram dados quando o presidente da CBF era José Maria Marin, que está em prisão domiciliar nos Estados Unidos, acusado pela Justiça americana de envolvimento no escândalo de corrupção da Fifa.

O órgão de instrução do Comitê de Ética considerou o caso como fechado. O presidente do órgão, Cornell Borbély, resolveu que todos os relógios serão dados à organização Street Football World. Os recursos gerados pelas vendas dos relógios, avaliados em US$ 25 mil (cerca de R4 94 mil), serão investidos para financiar iniciativas que utilizam o futebol para impulsionar a mudança social no Brasil.

Últimas de Esporte