Ibovespa sobe e mercado avalia reflexos da manifestação

Em reação ao protesto de domingo, Planalto defende reformas e busca reaproximação com a base aliada. Dólar sobe, cotado a R$ 3,26

Por O Dia

O mercado segue analisando o cenário político após os protestos do último domingo terem levado centenas de milhares de pessoas às ruas para manifestar insatisfação com a corrupção e o governo Dilma Rousseff. A reação do Planalto foi defender as medidas de ajuste fiscal e reiterar a posição de negociar as medidas para o Congresso. Após abrir a semana no vermelho, o Ibovespa opera no azul nesta terça-feira e, por volta das 13h, subia 0,97%, aos 49.323 pontos. No mercado de câmbio, o dólar subia 0,62%, cotado a R$ 3,265 na venda.

“É provável que (Dilma Rousseff) prossiga o diálogo com o PMDB para reconstruir a base e os aliados. Nesse caso, aumenta a probabilidade que o Planalto lance mão de uma reforma ministerial e amplie o espaço do PMDB, que deve, então, ceder e facilitar a aprovação das medidas de ajuste no Congresso. O governo segue enfraquecido após as manifestações, e o Congresso segue ainda mais fortalecido”, avalia a XP Corretora, em nota.

À frente dos ganhos do Ibovespa, Suzano PNA avançava 2,46%. Vale ON também se destacava entre as maiores altas ao valorizar 2,01%. Petrobras ON, por sua vez, tinha leve ganho de 0,47%. Na ponta negativa, PDG ON recuava 5%.

Nos Estados Unidos, as bolsas operavam no vermelho. A cautela prevalece na véspera da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano). Após dados fortes do mercado de trabalho no país, investidores especulam que o Fed pode sinalizar a antecipação da subida dos juros. Por volta das 13h, o Dow Jones caía 0,97%.

Últimas de _legado_Notícia