Erdogan diz que Turquia dará adeus à UE se negociação de entrada não avançar

Desde 1999, a Turquia é candidata a entrar na EU, mas as negociações nunca deram sinais de que se concluiriam por diversos motivos

Por O Dia

Ancara  - O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, garantiu nesta terça-feira que seu país vai desistir da União Europeia (UE) se novos passos do processo de negociação para a entrada no país no bloco não forem dados em breve.

"Não há outra opção a não ser abrir os capítulos que não foram abertos até agora. Se não abrirem, tchau", disse ele, em cerimônia em Ancara na qual formalizou seu regresso à militância do AKP, o partido islamita que ele fundou em 2001.

Presidente turco Recep Tayyip Erdogan durante campanha eleitoralEfe

Erdogan afirmou que avançar nas negociações é o único caminho a ser tomado e disse que a Turquia não vai continuar esperando como um "lacaio". Desde 1999, a Turquia é candidata a entrar na EU, mas as negociações, que no passado avançaram rapidamente em algumas ocasiões, agora estão em ponto morto. Em novembro do ano passado, o Parlamento Europeu decidiu pedir a suspensão das negociações de adesão da Turquia por conta da deterioração da democracia no país.

Na semana passada, os ministros de Relações Exteriores da UE (sem o Reino Unido) advertiram o governo turco de que deve respeitar os direitos fundamentais se ainda tiver interesse em entrar no bloco comunitário.

Erdogan fez estas declarações na cerimônia em que assinou sua reincorporação como militante do AKP, do qual teve que sair em 2014 quando foi escolhido presidente do país. A reforma constitucional promovida pelo AKP e aprovada em referendo em 16 de abril elimina essa cláusula e permite a militância partidária ao chefe do Estado

Últimas de _legado_Mundo e Ciência