Rita Lee é novamente processada por policiais militares de Sergipe

PMs acusam a cantora de danos morais em show de 2012

Por O Dia

Sergipe - O polêmico show que Rita Lee fez em Sergipe, em 2012, continua rendendo consequências para a cantora. Depois de responder a cerca de 40 processos de policiais militares que pediram indenização por danos marais, mais cinco PMs deram entrada no 7º Juizado Especial Cível de Aracaju nesta quarta-feira.

Uma audiência de conciliação entre a roqueira e dois oficiais ocorreu nesta manhã no 1º Juizado Especial Civil do Fórum Desembargador Pedro de Andrade, localizado no Conjunto Marcos Freire II em Nossa Senhora do Socorro.

Rita Lee é novamente processada por desacatoDivulgação


Os advogados da artista participaram do julgamento, mas o juiz Salvador Gonçalves considerou à revelia porque ela não compareceu e vai encaminhar os processos para o 7º Juizado Civil do Fórum Santa Maria. Os cinco policiais estão sendo representados pela Associação dos Policias Militares de Sergipe (Amese). Na época, cerca de 42 PMs que processaram a cantora receberam indenizações no valor de R$ 5 mil em média.

Relembre o caso

A confusão ocorreu porque, durante um show em Sergipe, Rita Lee gritou contra policiais que teriam agredido alguns fãs. Na ocasião, a cantora repreendeu os PMs. "Vocês não têm o direito de usar a força na meninada que não está fazendo nada. Seus cachorros, vocês estão fazendo de propósito", gritou Rita. Após o final da apresentação, ela foi levada a uma delegacia.

O Supremo Tribunal Federal decidiu que a Rainha do Rock teria que pagar R$ 245 mil de indenização por danos morais a policiais militares de Sergipe.

Últimas de _legado_Brasil