Um dia depois da posse, Dilma viaja para descansar na Bahia

Presidenta se reuniu de manhã com chefes de estado, enquanto 16 ministros assumiram o cargo

Por O Dia

Rio - No primeiro dia útil de seu segundo mandato, a presidenta Dilma Rousseff embarcou ontem à tarde para a base naval de Aratu, na Bahia, para descansar. Ela já tinha viajado para local na semana passada, no dia de Natal. A Secretaria de Imprensa da Presidência não informou quanto tempo a presidenta ficará na base naval.
Antes de viajar, Dilma participou de encontros bilaterais, pela manhã, no Palácio do Planalto, com chefes de estado que vieram ao Brasil para assistir sua posse. A primeira reunião foi com o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que propôs a Dilma aprofundar as relações dos dois países na área tecnológica. No encontro, o venezuelano aproveitou para agradecer “toda a solidariedade que Brasil tem tido com a Venezuela”.

Além de Maduro, a presidenta se reuniu com o o primeiro-ministro da Suécia, Stefan Lofven; o vice-presidente da China, Li Yuanchao; e o presidente da Guiné Bissau, Mário José Vaz.
Enquanto Dilma protagonizava encontros bilaterais com chefes de estado, parte dos 39 ministros de Estado participava da transmissão de cargo na Esplanada dos Ministérios. Pelo menos 16 ministros assumiram ontem suas pastas.

Uma das transmissões mais concorridas foi a novo ministro da Educação, Cid Gomes. Sua área foi apontada pela presidenta como a ‘prioridade das prioridades”. No discurso de posse, anteontem, Dilma lançou o lema ‘Brasil, pátria educadora’. É a primeira vez em 12 anos que o Ministério sai das mãos do PT e vai para um partido aliado — no caso o Pros.

Na quinta-feira%2C dia 1º%2C a presidenta Dilma Rousseff empossou%2C no Palácio do Planalto%2C os 39 ministros escolhidos para seu segundo mandatoReuters

Sem a presença de atletas, George Hilton (PRB) substitui o comunista Aldo Rebelo no Ministério dos Esportes. Rebelo, por sua vez, é o novo titular do Ministério da Ciência e Tecnologia.
Aliado fiel do ex-presidente Lula, o ex-ministro Gilberto Carvalho (PT) roubou a cena das transmissões de posse ao promover uma catarse — ‘não somos ladrões’—, que terminou em cantoria.


Hilton admite não entender de esportes

Cota do PRB no novo ministério da presidenta Dilma Rousseff, o ministro do Esporte, George Hilton, assumiu ontem o cargo admitindo não “entender profundamente” sobre a área que comandará. Ele substituiu Aldo Rebelo (PC do B), que foi nomeado para o Ministério da Ciência e Tecnologia.

“Entendo aqueles que estão preocupados. Vou tranquilizá-los: posso não entender profundamente de esporte, mas entendo de gente. Sei ouvir as pessoas e dialogar, lidar com divergências”, disse Hilton, na transmissão de cargo.

O novo ministro do Esporte é ligado à Igreja Universal. Segundo ele, sua fé não será “obstáculo” para a implementação de políticas públicas da pasta. No discurso de 50 minutos, Hilton disse que vai procurar a Casa Civil para debater as dívidas dos clubes de futebol. Afirmou ainda que as portas estão abertas para os integrantes do Bom Senso Futebol clube, grupo formado por jogadores e ex-jogadores que militam em benefício da classe.

Cid Gomes defende revisão do currículo

O ex-governador do Ceará e novo ministro da Educação, Cid Gomes (Pros), afirmou ontem que prevê implantar, no prazo de dois anos, um novo currículo para a educação básica no país. A ideia é criar um currículo básico único para as etapas do ensino fundamental e médio.

Na solenidade de transmissão de cargo ontem no Ministério da Educação (MEC), Cid defendeu um amplo debate sobre a proposta que, em sua avaliação, é necessária para aumentar a escolaridade e o nível de aprendizagem no Brasil.

“Esse é um processo que demandará muito diálogo, porque os sistemas no Brasil são autônomos. O estado de São Paulo pode fazer o seu currículo, o Rio de Janeiro pode fazer diferente. Cada estado tem autonomia. O que nós queremos, então, é caminhar para a unificação de um currículo básico e, no ensino médio, particularmente, abrir um processo de discussão para examinar alternativas de aprofundamento por áreas, enfim, e currículos que tenham identificação com realidades regionais”, explicou o novo ministro.

Na semana que vem, Cid Gomes pretende anunciar o índice de reajuste do piso salarial do magistério para 2015. A fórmula de cálculo é prevista em lei. Anualmente, o MEC divulga o percentual do aumento, que já passa a valer em janeiro. Segundo ele, a remuneração é apenas um dos caminhos para valorizar os professores. Ele sinalizou ainda com a possibilidade de avaliar os profissionais da educação para fins de progressão na carreira.


Regulação da mídia na pauta do governo
O governo pretende apresentar proposta de regulamentação econômica da mídia no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. A informação é do novo ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini (PT). Segundo ele, o ministério vai “abrir um debate” para ouvir sugestões sobre o tema. Só, então, o governo vai enviar a proposta ao Congresso.

“Quem regulamenta é o Congresso Nacional. O Poder Executivo pode, no máximo, apresentar suas propostas. Mas pode também fomentar a discussão e fazer com que as pessoas compreendam de maneira bastante clara o que já está na Constituição e o que é necessário para que se tornem esses direitos constitucionais efetivos”, disse o ministro, na cerimônia de transmissão de cargo. “Nós vamos ouvir todas as propostas que forem apresentadas”, afirmou.

Berzoini era ministro das Relações Institucionais, mas foi deslocado no segundo mandato de Dilma para as Comunicações. Ele substitui o também petista Paulo Bernardo na pasta.

Últimas de _legado_Brasil