Sede do PT em São Paulo é invadida

Gavetas e armários foram vasculhados, mas nada foi levado. Ato é o 4º contra imóveis do partido em 2015

Por O Dia

Gavetas foram vasculhadas, segundo PTDivulgação / PT

São Paulo - O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) em São Paulo, no centro da capital, foi invadido na madrugada desta segunda-feira, informou a legenda em nota.

Gavetas e armários foram vasculhados, mas nada foi levado, embora houvesse 20 computadores no local. A ocorrência é a quarta em imóveis ligados à legenda neste ano no Estado de São Paulo.

O presidente municipal do PT, vereador Paulo Fiorilo, disse ser preciso aguardar a apuração da polícia para saber se se tratou de uma tentativa de assalto ou de um crime político.

"Pode ser que não tenha sido nada além do arrombamento. Mas o que queremos é que se apure. Temos os casos antecedentes", disse Fiorilo, em entrevista ao iG.

No último, em 30 de julho, uma bomba de fabricação caseira foi lançada contra a sede do Instituto Lula, no Ipiranga (zona sul). Os estragos foram de pequena proporção e ninguém ficou ferido.

Um dia depois do fato,a presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou pelo Twitter que "a intolerância é o caminho mais curto para destruir a democracia".

Em março, uma bomba semelhante atingiu o prédio do diretório regional do PT, também na região central de São Paulo, sem deixar feridos. A porta principal do imóvel, além de móveis e documentos foram destruídos.

LEIA MAIS: Manifestantes vão às ruas exigindo a renúncia de Dilma

Manifestantes se concentram em frente ao Instituto Lula em São Paulo

Dias antes, o diretório municipal da partido em Jundiaí, cidade no interior de SP, teve documentos, cortina e móveis queimados após um artefato incendiário - possivelmente um coquetel molotov - ser lançado contra o prédio.

A Polícia Federal instaurou inquéritos para apurar os ataques contra o Instituto Lula e a sede do diretório regional na capital, mas ainda não informou se se trataram de crimes políticos ou comuns. Fiorilo informou que não foi solicitada, por enquanto, apuração da invasão desta segunda-feira. O vereador também evitou fazer relação entre o novo ato e as manifestações pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), realizadas neste domingo em todas as capitais do País.

Fonte: iG

Últimas de _legado_Brasil