Edital para o Banco Central deve ser divulgado dia 19

Salários de até R$ 14,9 mil aumentam a concorrência do concurso que terá 515 vagas

Por O Dia

Rio - O edital do concurso para o Banco Central deve ser divulgado no próximo dia 19. Com salários de R$ 4.917,28 a R$ 14.970,60, a seleção promete ser concorrida, por isso, candidatos devem intensificar os estudos e dar prioridade às novidades contidas no certame deste ano. São oferecidas 515 vagas no total, sendo 400 para o cargo de analista, que exige Nível Superior em diversas áreas; 100 para técnico, de Nível Médio; e 15 para procurador, que exige Nível Superior em Direito.

Especialistas afirmam que o ideal é o candidato fazer um curso preparatório para intensificar os estudosDivulgação

A banca organizadora é a Cespe/UnB que, segundo especialistas, costuma elaborar questões de certo e errado, nas quais uma incorreta anula outra correta. De acordo com Juarez Lopes, especializado em concurso e diretor do Instituto de Otimização da Mente (IOM), é importante levar o perfil da banca em consideração para direcionar os estudos.

“O candidato deve conhecer as características da banca, de modo a otimizar a preparação. Antes de sair o edital é interessante fazer questões de provas anteriores”, orienta.

Presidente do Sindicato dos Funcionários do Banco Central no Rio, Sérgio Belsito explica que os concurseiros que ainda não começaram a estudar devem procurar a ajuda de um curso preparatório. “É preciso buscar informações sobre o perfil da banca e trabalhar em cima do último edital”, aconselha o especialista, que vai dar uma palestra sobre a carreira no Banco Central, no dia 2 de agosto, às 19h, no Universo do Concurso Público.

Depois que as normas do concurso forem lançadas, o candidato deve intensificar os estudos de itens em que tiver mais dificuldade. Precisa também ficar atento às novidades que não faziam parte das seleções passadas. Para o especialista Sérgio Camargo, “é preciso se aprofundar nos assuntos específicos ao cargo concorrido”.

Seleção será regionalizada

Uma das principais mudanças no edital deste ano é que o concurso deve ser regionalizado, adianta Sergio da Luz Belsito, presidente do Sindicato dos Funcionários do Banco Central no Rio. Isso significa que os candidatos vão concorrer especificamente para as representações do órgão no estado de seu interesse.

A quantidade de vagas em cada região ainda não foi definida. “O banco está fazendo um processo de mobilidade interna, para depois definir o número de vagas em cada representação. Isso vai ajudar a fixar servidores em regiões que têm dificuldades em manter os funcionários”, explica.

Possibilidade de mais vagas

Há chances de que o número de vagas oferecido para o Banco Central seja ainda maior. Segundo Sergio Belsito, a quantidade de servidores do órgão em condições de se aposentar é grande, o que demanda novos funcionários.

“A proposta inicial do Banco Central era de 1.800 vagas. Por isso, é provável que haja um novo concurso em breve para preencher os cargos restantes”, explica o especialista.

Além disso, Belsito afirma que o número de candidatos convocados costuma ser maior do que o das vagas oferecidas no concurso. De acordo com ele, na última seleção foram feitas 800 contratações, sendo que apenas 500 vagas haviam sido anunciadas. “É provável que também este ano tenha mais oportunidades do que estão oferecendo”, ele avalia.

Últimas de _legado_Economia