Balas e guloseimas sem espaço no varejo ainda dão água na boca de gente grande

Sucesso entre a criançada da época, determinados produtos foram perdendo espaço no mercado ou simplesmente desapareceram

Por O Dia

Rio - Quem nunca colecionou as figurinhas dos chocolates Surpresa? Ou fingiu fumar cigarrinhos de chocolate?Assim como as balas Soft, os chicletes Mini, o biscoito Fofy e tantas outras guloseimas, esses doces deixaram saudade nas gerações dos anos 1970, 80 e 90.

MINI CHICLETES%3A Criação da Adams%2C era sucesso entre as crianças%2C que gostavam de mastigar todos de uma só vezReprodução

Sucesso entre a criançada da época, determinados produtos foram perdendo espaço no mercado ou simplesmente desapareceram. Coordenador da pós-graduação da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Antônio Carlos Morim explica que o processo de extinção das marcas é comum, em função de fatores como a união de empresas, forte concorrência, má administração do negócio ou até mesmo pelo envelhecimento da identidade do produto.

“No caso dos cigarrinhos de chocolate, eles foram proibidos por serem politicamente incorretos. Para substituí-los, a empresa criou os lápis de chocolate, no mesmo formato. Já as balas Soft tinham o problema de causar engasgamento nas crianças. Além disso, elas começaram a ser copiadas por outras empresas e, com a concorrência, deixaram de existir”, explica.

Outros produtos continuam no mercado, mas mudaram de nome. Como exemplo, há o chocolate Kri, da Nestlé, que hoje se chama Crunch, e o refrigerante Mirinda, que virou Sukita, após ser comprado pelo mesmo grupo da Pepsi.

No entanto, apesar de saírem da vista do público, essas marcas não deixam de existir. “Estão lá, registradas. Se alguém quiser ressuscitar, é possível”, diz Morim. Prova disso foi o retorno de produtos ao mercado brasileiro, que só continuavam sendo comercializados no exterior, como o Lollo, da Nestlé. Ícone dos anos 80, o chocolate ‘fofinho’ voltou com a mesma receita e identidade visual.

O biscoito Oreo, concorrente do Negresco, e a batata Lay's — antigamente conhecida como Frito — também estão de volta. “Há marcas que não funcionam em um certo momento, mas depois voltam e fazem sucesso”, justifica o especialista.

Enquanto outros doces da infância continuam desaparecidos, o jeito é se contentar com o que há disponível hoje nas prateleiras dos supermercados. O designer gráfico Miguel Trindade, de 29 anos, ainda compra as moedinhas de chocolate. “Quando era criança, tentava trocar por balas na padaria do bairro, achando que era dinheiro. Faz parte das minhas lembranças”, conta ele.

A estudante Aline Raposo, 33, por sua vez, costumava se deliciar com os cigarrinhos de chocolate. “Todas as crianças adoravam. Não sinto falta, mas comeria se voltasse a ser fabricado. É curioso como naquela época não era politicamente incorreto. Hoje seria”, avalia.

MONSTRINHO CRECK%3A Vinha em diversos sabores%2C mas o mais divertido é que tinha o formato de um biscoito mordidoReprodução Internet

Já o vendedor Daniel do Nascimento, 21, lembra com saudade das balas Soft. “Queria que voltassem a ser fabricadas. Comia um saco inteiro dessas balas quando era criança e sinto muita falta. Mas a gente tinha que tomar cuidado para não engasgar, isso sempre acontecia. Pelo menos, fiquei feliz que o biscoito Mirabel voltou. Tem gosto de infância”, diz.

Para que os produtos sobrevivam ao tempo, é importante manter as marcas vivas na memória do consumidor. E, para isso, o investimento em publicidade é fundamental. “Atualmente, há uma concorrência acirrada de produtos com qualidade excelente e, por isso mesmo, as empresas têm que fazer com que o consumidor tenha a melhor experiência possível com a marca e não abra mão daquele produto”, ensina Morim. Entre as marcas veteranas sobreviventes, é possível identificar Leite Moça, Maizena, Ninho e Geneal, por exemplo.

Com gostinho de infância

BALAS BONECO

Tinham gosto de tutti-frutti, mas as crianças adoravam mesmo era o formato de boneco cor-de rosa.

SOFT

Vinham em diversos sabores. Como eram redondas e lisas, a criançada engolia com facilidade e engasgava.

DROPES DULCORA

Muito vendido no cinema, era famoso nos anos 80.

PIROCÓPTERO

Era um pirulito que vinha com uma hélice de plástico. Era só encaixar no cabinho e girar para fazê-lo voar.

SURPRESA

Lançado pela Nestlé em 1983, trazia um animal desenhado no chocolate em alto relevo e cartões para colecionar.

ICE POP

Nada mais que um sacolé industrializado era para congelar em casa, mas as crianças adoravam por ser colorido e com embalagem de bichinhos.

SORVETES GELATO

A marca tinha diversos sabores. Uns dos mais requisitados eram o Gol, em formato de bola de futebol, e o Disco, que consistia em dois biscoitos enormes de chocolate com uma camada grossa de sorvete de creme no meio. A empresa também foi a primeira a lançar o Cornetto, produzido até hoje pela Kibon.

BISCOITO FOFY

Eram ursinhos de chocolate. Isso explica o enorme sucesso com as crianças.

LEP’S

As balinhas eram vendidas em embalagens individuais. Cada uma era ilustrada por um animalzinho.

CROQUETE

Os chocolates vinham num tubinho vermelho, embrulhados em papel laminado.

Últimas de _legado_Economia