Estado abona as faltas de docente grevista

Salário cortado começará a ser devolvido no próximo mês e a complementação virá em setembro

Por O Dia

Rio - Estão abonadas as faltas dos professores da rede estadual de ensino que participaram da greve entre os dias 12 de maio e 27 de junho, desde que eles reponham os dias parados. A medida foi publicada ontem no Diário Oficial do Estado do Rio. Serão beneficiados 506 professores, segundo a Secretaria Estadual de Educação (Seeduc). O texto do decreto prevê que as aulas devem ser repostas na unidade em que os docentes estavam lotados à época das faltas.

O salário cortado será devolvido proporcionalmente às aulas repostas. O primeiro pagamento será feito no dia 4 de agosto. Caso não seja feita uma folha suplementar no próximo mês, o restante será creditado em setembro e assim por diante, até que o calendário seja cumprido.

Segundo a secretaria, 190 professores perderam a lotação em definitivo e terão que lecionar em outras escolas, que não sejam as de origem deles.

A vaga foi substituída por outro docente por decisão judicial. Contudo, para ter direito ao abono de faltas, o professor terá que repor a aula obrigatoriamente na unidade em que estava lotado durante a paralisação. Após esta etapa, será direcionado para nova escola estadual.

Devido ao imbróglio envolvendo a perda da lotação de origem dos docentes grevistas, o Sindicato Estadual de Profissionais de Educação (Sepe) emitiu nota ontem em que alerta os professores no retorno às aulas. É necessário que o professor procure o sindicato, caso não receba autorização da Metropolitana para repor o conteúdo na escola em que atuava na época da greve. Mesmo após perder a lotação prioritária.

Últimas de _legado_Economia