Vídeo que mostra ação de PMs na Maré vira polêmica

Policiais usam blindado e trocam tiros em comunidade. Corporação diz que era gravação para TV

Por O Dia

Rio - Um filme de terror. Pelo menos para os moradores da Favela Nova Holanda, no Complexo da Maré. Um vídeo de quatro minutos e oito segundos que circula na internet, mostrando cerca de dez policiais do 22º BPM (Maré), com apoio de um blindado da corporação, numa incursão na comunidade, está causando polêmica.

Os agentes, sem análise de risco e apresentando falhas na ação, segundo especialista — alguns PMs sequer usavam coletes à prova de bala —, trocam tiros intensamente em plena luz do dia com traficantes por mais de três minutos, porque suspeitam que um objeto no chão de um beco, fosse um radiotransmissor ou pistola.

Em nota, a PM informou que as imagens foram gravadas em janeiro de 2013 pela produção do grupo AfroReggae e do Multishow (canal de TV da operadora Globosat). Apesar do tiroteio, a PM alega “que as cenas estão editadas e não é possível ter uma noção da dinâmica do que aconteceu”.

EMOÇÃO

No início do filme, a viatura para no cruzamento de um beco, onde um PM comenta: “Tem bem um rádio (transmissor) ali”. Outro policial pergunta: “Mas você quer pegar o rádio, é isso?”. Alguns agentes descem do blindado. E a troca de tiros tem início. Balas atingem a lataria do blindado. “Se não fosse blindado...”, comenta uma policial, dentro do veículo, onde um colega dela também faz disparos. Com medo, moradores evitam sair de casa.

No final do vídeo, que tem fundo musical e legendas, um PM comenta: “Não era radinho, não. Era só para dar emoção pra filmagem”.

O vídeo foi postado terça-feira numa página não oficial da corporação, criada por “admiradores da PM”. Ontem à noite havia mais de 500 compartilhamentos.

Críticas à exposição desnecessária de policiais

O ex-capitão do Bope e consultor em segurança Paulo Storani condenou o procedimento e a conduta dos policiais. “Trata-se de hábitos ou vícios de comportamento adquiridos quando falha ou inexiste treinamento rotineiro”, criticou Storani, ressaltando que “houve uma exposição desnecessária dos PMs na ação, para se apreender um suposto radiotransmissor.

X., representante comunitário do Complexo da Maré, se disse indignado. “Infelizmente, esse tipo de ação patética da PM é recorrente aqui. Mas o que mais dói ainda é saber que todo aquele estresse e risco ocorreu para produzir filminho para TV”, desabafou.

Em nota, a PM alega que “a guarnição respondeu a tiros” de bandidos. “Houve a precaução de evitar trocar tiros com moradores próximos à linha dos mesmos”, diz o texto, argumentando que o uso de colete é recomendável, “mas não mais obrigatório”. A direção do Multishow informou que vai analisar as imagens e hoje comentará o assunto. José Júnior, líder do AfroReggae, não retornou ligações feitas pelo DIA.

Últimas de Rio De Janeiro