Justiça decreta prisão temporária de suspeito de assassinato no metrô

Foi identificado como Edvardo Camelo Costa o homem que matou Alexandre de Oliveira, sexta-feira, na Uruguaiana

Por O Dia

Edvardo Camelo Costa é apontado como o assassino de Alexandre de Oliveira%2C na estação do metrô Uruguaiana. A polícia busca identificar os outros dois acusados do crimeDivulgação / Polícia Civil

Rio - O Tribunal de Justiça decretou nesta segunda-feira a prisão temporária de Edvardo Camelo Costa. Ele é acusado de assassinar o auxiliar de serviços gerais, Alexandre de Oliveira, na última sexta-feira, durante assalto dentro da estação do metrô Uruguaiana. De acordo com o TJ, o irmão do acusado esteve na delegacia que investiga o caso e o reconheceu nas imagens captadas pelas câmeras do sistema interno do metrô.

“É mais uma eloquente demonstração da desavergonhada criminalidade urbana que vem assolando, assustadoramente, esta cidade. A cada nova ocorrência similar vê-se que não se intimidam os delinquentes em agir em locais públicos, providos de câmeras e de vigilantes, muito movimento, à luz do dia. Covardemente audaciosos e vorazes, buscam o ganho fácil, mesmo que a vítima seja pessoa humilde e de parcos recursos. O finado Alexandre de Oliveira era um simples office-boy que trabalhava fazendo depósitos e saques bancários”, ressalta a juíza Maria Isabel Pena Pieranti em sua decisão.

Alexandre foi abordado pelos criminosos na bilheteria da estação Uruguaiana, no Centro do Rio, às 12h57 da última sexta-feira. Os três bandidos fizeram dois disparos e fugiram após o crime. No local, houve tumulto e correria durante a ação e a estação foi fechada por mais de três horas. A vítima foi sepultada no sábado, no Cemitério do Catumbi.

VEJA MAIS

'Todo mundo em pânico. Assustador', diz sobrevivente de assalto no metrô

Homem morre baleado na estação de metrô da Uruguaiana

Fotos mostram suspeitos de participar de morte no metrô da Uruguaiana

'Bandidos conheciam ele', diz amiga sobre morto no metrô da Uruguaiana

O delegado titular da Divisão de Homicídios (DH) da Capital, Rivaldo Barbosa, que investiga o crime, disse que a vítima foi atingida por dois tiros feitos pelas costas. "Foi uma ação covarde dos bandidos e a investigação está indo na linha de saidinha de banco e latrocínio (roubo seguido de morte)", disse Barbosa.

O Procon do Rio disse que entrará com um processo administrativo para investigar a responsabilidade da concessionária Metrô Rio no assalto. O objetivo é apurar se houve falha na segurança da estação. Como informou a autarquia, o Código de Defesa do Consumidor prevê que é responsabilidade da empresa prestar serviços em condições adequadas de segurança, sem colocar em risco a vida e a saúde do consumidor.

Últimas de Rio De Janeiro