Angra dos Reis quer esclarecer vazamento de óleo no mar

Instituto diz que incidente não causou danos à maricultura na Baía da Ilha Grande. Câmara de Vereadores fará audiência pública

Por O Dia

Rio - Vereadores de Angra dos Reis se reuniram nesta terça-feira (31) com representantes do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e do Instituto de Ecodesenvolvimento da Baía da Ilha Grande (IED-BIG) para discutir o vazamento de óleo no terminal da Transpetro, ocorrido no último dia 16 de março. De acordo com a Câmara, representantes da Transpetro e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente também foram convocados, mas não compareceram.

O presidente da Câmara Municipal, Marco Aurélio Vargas (PROS), disse que a convocação era para averiguar o ocorrido, já que o acidente pôs em risco a vida na Baía da Ilha Grande. "Somos sabedores que a Petrobras e sua subsidiária, a Transpetro, atuam sob protocolos internacionais de segurança. As informações que circularam foram desencontradas e isso empobreceu a abordagem sobre o ocorrido. Angra dos Reis quer e precisa conhecer a verdade dos fatos". 

Por meio de nota, a Transpetro esclarece que informou – oficialmente e com antecedência – à Câmara Municipal de Angra dos Reis que a apuração técnica das causas do vazamento está em andamento. A companhia reiterou aos parlamentares que "tem total interesse na completa elucidação do incidente" e se colocou à disposição para prestar informações em uma outra oportunidade.

Sem riscos à maricultura

Em meio ao problema, o presidente do IED-BIG, porém, deu uma boa notícia em relação à maricultura. "Segundo um estudo que realizamos, nenhum impacto foi gerado por esse vazamento. Isso é uma notícia muito boa, pois hoje possuímos três milhões de sementes de Coquilles Saint Jacques e até semana que vem deveremos ter cinco milhões", disse o ex-vereador. Segundo ele, todos têm obrigação de defender a baía da Ilha Grande, autoridades constituídas e cidadãos. "Porém, é com muita tristeza que digo que não nos foi dada informação suficiente", destacou.

Segundo o superintendente regional do Inea, Roberto Félix, o assunto é de competência do órgão estadual, não do escritório da Costa Verde. "Esse assunto não é de competência da nossa regional. Nós apenas atuamos como coadjuvantes, acompanhando a equipe do Rio. O Inea vai definir ainda nesta terça-feira a multa à Transpetro, pela omissão de informações nas primeira 24 horas do acidente. Proponho que tenhamos um novo encontro, com a participação do Inea-Rio, para que todo o processo seja esclarecido", defendeu o superintendente.

O presidente da Câmara informou que vai promover uma audiência pública sobre a Baía da Ilha Grande. "Vamos chamar todos os atores ligados aos grandes problemas da baía para, diante das discussões, tomar medidas cabíveis para proteger nosso maior patrimônio: a natureza", disse Vargas.

Últimas de _legado_O Dia no Estado