PM vai responder por tentativa de homicídio por tiro em funcionário de shopping

Paulo Lins de Albuquerque Junior, do 41º BPM (Irajá), estava com táxi do pai e atirou por ser impedido de sair sem pagar

Por O Dia

Rio - O cabo policial militar Paulo Lins de Albuquerque Junior, do 41º BPM (Irajá), vai responder por tentativa de homicídio duplamente qualificado por atirar em Roberto Prado Ribeiro, de 36 anos, funcionário do Shopping Nova América. O trabalhador tentou impedir que o PM, que estava com o táxi do pai, de sair do estabelecimento sem pagar o estacionamento.

"Vai responder por tentativa de homicídio, duplamente qualificado, uma vez que foi por motivo fútil, banal, usou desproporcionalmente a força, a arma de fogo, e não permitiu a defesa da vítima, que estava inicialmente de costas quando ele partiu para a agressão", disse o delegado Roberto Ramos, da 44ª DP (Inhaúma), que investiga o caso, em entrevista à GloboNews, que exibiu o vídeo do circuito de câmeras do shopping, mostrando o ataque do policial.

LEIA MAIS: Delegado pede prisão de suspeito de atirar em funcionário de shopping

Funcionário é baleado e cai no chão (destaque). Ao fundo%2C o táxi dirigido pelo policial%2C que fugiu em seguidaReprodução Vídeo

De acordo com o delegado, não é a primeira vez que o policial se envolve em brigas e usa a arma de fogo. Paulo Lins já tem passagens por crimes similares. "Ele tem duas passagens que são similares. Ele discutiu por fatos comuns e acabou utilizando a arma de fogo", revelou. No depoimento, ele disse que se sentiu ameaçado pelas palavras ditas pelo funcionário, de acordo com Ramos.

Roberto Prado Ribeiro foi atingido no rosto e foi operado no Hospital Federal de Bonsucesso (HFB). O tiro atingiu a sua bochecha e se alojou no pescoço, mas foi retirada durante o procedimento cirúrgico. De acordo com o HFB, ele foi transferido ainda em estado grave e respirando por aparelhos pela família para uma clínica particular.

Últimas de Rio De Janeiro