Ryan Lochte é indiciado pela polícia por falsa comunicação de crime

Nadador será intimado a prestar novo depoimento no Brasil e, caso não venha dos EUA para audiência, será condenado à revelia

Por O Dia

Rio - A Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (DEAT) concluiu as investigações contra o campeão olímpico Ryan Lochte. Ele foi indiciado por falsa comunicação de crime. O nadador americano será intimado a prestar novo depoimento no Brasil e, caso não venha dos EUA para audiência, será condenado à revelia.

O inquérito policial foi encaminhado ao Juizado do Torcedor e dos Grandes Eventos. No relatório, o delegado responsável pelo caso sugeriu ao Poder Judiciário a expedição de carta rogatória para que Ryan Lochte seja comunicado do processo nos EUA e o envio de cópia dos autos para a Comissão de Ética do Comitê Olímpico Internacional.

Nadador Ryan Lochte foi indiciado por falsa comunicação de crime ao inventar assaltoEfe

"Não temos como estimar (a vinda do nadador para audiência no Brasil). Ele terá que vir ao Brasil para depor na audiência no Juizado Especial de Torcedores e de Grandes Eventos", disse o delegado Clemente Braune, da DEAT, em entrevista nesta quinta-feira ao DIA.

Lochte não poderá ser ouvido nos Estados Unidos. Ele responde pelo delito de comunicação falsa de crime, que prevê um ano e seis meses de detenção ou multa.


Últimas de Rio De Janeiro