Ação popular sobre desabamento da Ciclovia Tim Maia pode ser extinta

Juiz intimou a vereadora Teresa Bergher a dar andamento em processo

Por O Dia

Rio - O juiz Marcello Alvarenga Leite, da 9ª Vara de Fazenda Pública da Capital, intimou a vereadora Maria Teresa Bergher a dar andamento à ação popular contra o ex-prefeito Eduardo Paes e os engenheiros responsáveis pelo projeto da ciclovia Tim Maia. Caso ela não se manifeste o processo pode ser extinto por abandono de causa.

Em abril de 2016, um trecho da via desabou, matando duas pessoas; a ciclovia ligava os bairros de São Conrado e Leblon, na Zona Sul do Rio. Além do ex-prefeito, os réus desse processo são o município do Rio de Janeiro, a companhia Concremat Engenharia e Tecnologia S/A, o Consórcio Contemat-Concrejato e os engenheiros Marcello José Ferreira Carvalho, Ioannis Saliveiro Neto e Hercules Bruno Neto. 

Procurada pelo DIA, Teresa Bergher foi categórica. "Recuar dessa ação é um desrespeito à memória das duas vítimas", disse. Confira a nota da vereadora na íntegra:

"Recuar dessa ação é um desrespeito à memória das duas vítimas que perderam a vida naquela tragédia e às famílias que ficaram sem seus entes amados. O que ocorreu ali não foi um acidente causado pela natureza, mas a soma de erros de projeto com o açodamento eleitoral. Como pode uma obra que custou R$ 45 milhões do contribuinte desmoronar e ninguém responder por isso? Vou até o fim para que cada um responda à Justiça

Últimas de Rio De Janeiro