Festa para os 450 anos da Ilha do Governador

Shows, desfile cívico, teatro e livro marcam aniversário de bairro da Zona Norte

Por O Dia

Rio - Bairro mais antigo do Rio de Janeiro, a Ilha do Governador comemora hoje 450 anos de fundação. A data é alusiva à cessão das terras da Ilha ao governador Correa de Sá em 1567. Ao longo do dia, com apoio da Secretaria Municipal de Cultura, vários eventos gratuitos vão marcar o histórico aniversário, entre eles, shows, lançamento de livro e até antecipação de desfile cívico, com apresentação da Banda da Guarda Municipal.

Praia na Ilha do GovernadorDivulgação

Os festejos têm início no bairro Cocotá, às 9h, com o tradicional desfile da pátria, com a participação de 5 mil alunos de escolas públicas e privadas da região. Simultaneamente, no Parque Poeta Manoel Bandeira terá recreação e um bolo de dois metros de comprimento.

“A Ilha chega a essa data magnífica mantendo seus encantos de outrora. Não há canto do Rio mais romântico, charmoso, familiar e alegre que a Ilha”, garantiu a presidente da Associação de Mulheres da Ilha do Governador, Carla Pereira. “Moro aqui desde os 5 anos de idade. Não quero nunca me mudar para outro bairro”, completou o secretário estadual de Educação, Wagner Victer.

Até sábado, na Areninha Carioca Renato Russo, haverá apresentações teatrais e de dança com a participação de moradores. O espaço realiza também exposições de arte, um baile de dança de salão e show da banda Inspiração Urbana, com tributo à Legião Urbana, de Renato Russo, um dos mais ilustres insulanos, que tem até estátua em sua homenagem.

Livro de Judite Paiva%2C que conta histórias da região%2C inclusive sobre a Praia da Bica%2C será lançado hoje%2C às 18h%2C na Biblioteca Euclides da CunhaDivulgação

A Biblioteca Municipal Euclides da Cunha também preparou homenagem. Será lançado o livro ‘Capítulos da História da Ilha do Governador’, da historiadora Judite Paiva, às 18h. Judite é mestre em História Social pela Universidade Federal Fluminense e já publicou outras obras sobre a região. Encerrando as comemorações, a partir das 19h, o Aterro do Cocotá vai receber uma festa com shows do grupo Chegando de Surpresa, formada por garis da Comlurb, DJ Tralha e o cantor Buchecha.

“Meu maior orgulho é falar que moro no mesmo bairro de gente famosa, como Miguel Falabella e Nilton Santos, e das localidades cariocas mais democráticas que existem, em meio a palmeiras imperiais, como a Ilha da Pedra da Onça e do Itacolomi, Tubiacanga. Sem contar o charme do Jardim Guanabara e a alegria do Morro do Dendê e da União da Ilha”, comentou o aposenta João Alves da Silva, 58 anos, morador da Praia da Bica. 

O bairro e seus encantos naturais, na culinária e Carnaval

A Ilha do Governador é a maior da Baía de Guanabara, com pouco mais de 40 km² e 212,5 mil moradores, segundo o Instituto Pereira Passos. Histórias referentes às suas belezas naturais não faltam. Como a de que Dom Pedro I, que caçava onças na localidade, bebia água numa bica, considerada afrodisíaca, e que deu origem ao nome de uma das praias mais tradicionais do lugar. A fonte foi restaurada pela Cedae anos atrás e funciona como atração turística, inclusive pelas palmeiras imperiais centerárias que foram tombadas pela prefeitura. E é pelas praias que fica a melhor vista: da Baia, com Cristo Redentor e a Ponte Rio-Niterói. O bairro reserva lugares pouco conhecidos, como a Ilha de Bom Jesus, no Fundão, com arquitetura de origem jesuíta, descoberta recentemente. Na região também existem outras grandes instalações como o Batalhão de Fuzileiros Navais, o Aeroporto Internacional do Galeão e o Iate Clube Jardim Guanabara.

Na gastronomia, o bairro se destaca com quiosques e restaurantes que oferecem desde comida portuguesa até árabe, mexicana e francesa. No esporte, o frescobol impera. A Ilha disputa com Copacabana o berço da modalidade, tombada em 2015 como bem imaterial. No futebol, a nova casa do Flamengo, a Ilha do Urubu, virou sensação. E é no bairro que também fica a escola União da Ilha. A quadra foi restaurada e conta com ar-condicionado, estacionamento e camarotes. Com enredos irreverentes, em 2018, a agremiação levará para Avenida o ‘Brasil Bom de Boca’.

Últimas de Rio De Janeiro