Rocinha tem manhã de aparente tranquilidade em terceiro dia de ocupação

Nos últimos dois dias de operação das forças de segurança, foram apreendidos 18 fuzis, nove suspeitos presos e três mortos

Por O Dia

Rio - Sem registros de confrontos, Rocinha tem manhã de aparente tranquilidade neste domingo. No terceiro dia de ocupação do Exército na comunidade que fica em São Conrado, na Zona Sul, nenhum tiroteio foi ouvido na madrugada.

Homens do Exército participam de cerco à RocinhaEstefan Radovicz / Agência O Dia

Cercada por tropas das Forças Armadas e alvo de todos os olhares, a Rocinha vive desde esta sexta-feira um cerco as quadrilhas que iniciaram uma guerra na comunidade no último domingo. Só nesta sexta e sábado, foram apreendidos 18 fuzis, três mortos e nove presos.

Os 950 homens das Forças Armadas, que ficarão por tempo indeterminado na comunidade, segundo o coronel Mauro Sinot, do Comando Militar do Leste (CML), vem auxiliando na operação que visa capturar os traficantes responsáveis pela invasão.

Recompensa

O valor da recompensa oferecida por Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, apontado como um dos traficantes que está a frente dos confrontos na favela, subiu para R$50 mil. Anteriormente, o valor estava em R$30 mil.

Rogério 157 estava com o bando que rendeu um taxista, na madrugada deste sábado, na Rua Jardim Botânico, no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio, de acordo com informações do delegado Carlos Rangel, titular da 9ª DP (Catete), que integra a força-tarefa na Favela da Rocinha.

Segundo Carlos Rangel, além do líder do tráfico de drogas da comunidade outros três criminosos armados integravam o grupo. A partir de depoimento da vítima, a Polícia Civil identificou que o traficante Jaílson Barbosa Marinho, o Jabá, braço direito de Rogério 157, também estava no táxi.

Por volta das 4h deste sábado, os bandidos armados de fuzis fizeram um taxista — que não teve a identidade revelada — refém na Rua Jardim Botânico. De acordo com o depoimento da vítima, eles ordenaram que o homem os levasse ao Horto e pegassem Rogério 157 e Jabá para levá-los novamente à Rocinha. No entanto, na entrada do Túnel Rafael Mascarenhas, os criminosos atacaram uma viatura da PM, que iniciou perseguição ao veículo.

Últimas de Rio De Janeiro