Familiares de PMs assassinados recebem auxílio da Secretaria de Direitos Humanos

Nos últimos dois meses a pasta atendeu cerca de vinte mães e companheiras de agentes mortos

Por O Dia

Rio - A Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos (SEDHMI) anunciou, nesta sexta-feira, que coloca à disposição da família do coronel Luiz Gustavo Teixeira, comandante do 3º BPM (Méier) morto na última semana, auxílio jurídico e psicossocial.

A SEDHMI disse se solidarizar com a dor da família de cada policial militar que perde a vida agindo no dever legal, e até mesmo em dias de folga, simplesmente pelo fato de ser um agente da lei. “Nada mais justo do que oferecer auxílio aos parentes destes policiais que exerceram plenamente sua função de nos proteger. Em setembro deste ano recebemos dezenas de familiares de policiais assassinados que se foram deixando pais, mães, irmãos e filhos. O auxílio psicossocial é fundamental para que estas pessoas possam superar suas dores e seguir em frente”, diz o Secretário de Direitos Humanos, Átila Alexandre Nunes.

Nos últimos dois meses a Secretaria atendeu cerca de vinte mães e companheiras de agentes mortos. Uma das principais dificuldades enfrentadas por elas é no momento de solicitar a pensão para os filhos e o reconhecimento da paternidade das crianças. Para garantir os direitos dos familiares dos agentes a SEDHMI agiliza os processos de documentação, além de oferecer assistência jurídica e psicológica.

Através do telefone (21) 2334 9551 é possível entrar em contato com a Secretaria de Direitos Humanos e solicitar auxílio. A Central telefônica funciona de segunda a sexta-feira das 10h às 16h.

Últimas de Rio De Janeiro