Funcionários de empresa de ônibus fazem paralisação na Zona Oeste

Trabalhadores da Viação Bangu, que dizem estar com salários atrasados, se concentraram na porta da empresa nesta manhã

Por O Dia

Rio - Funcionários da Viação Bangu fazem uma paralisação, na manhã desta segunda-feira. Eles se concentraram em frente a garagem da empresa na Estrada General Canrobert da Costa, em Realengo, na Zona Oeste da cidade.

Passageiros que utilizam as linhas da Viação Bangu sofrem com a paralisação. Por volta das 7h, o pátio da garagem estava completamente tomado e todos os veículos estavam parados. A empresa disse que está sendo feita uma negociação com representantes dos funcionários para que o transporte de passageiros não seja afetado.

Ônibus da Auto Viação Bangu no estacionamento da empresa por conta da paralisação dos funcionáriosReprodução TV Globo

Os funcionários da empresa fazem uma série de revindicações, entre elas de atrasos nos salários, cobrança indevida de peças quebradas, pagamento correto das horas extras e desconto de faltas não existentes, segundo eles.

Procurada, o Rio Ônibus, sindicato que representa as empresa de ônibus no município, disse que o auto Viação Bangu negocia com os representantes dos trabalhadores e acredita que a paralisação tenha fim ainda nesta manhã. Ainda não foram informados o número de veículos parados ou o esquema adotado por conta da paralisação. 

O consórcio Santa Cruz informou, em nota, que as empresas estão utilizando ônibus da sua reserva técnica de uma forma emergencial para não comprometer a oferta de transporte da Zona Oeste nesta manhã. Confira a nota na íntegra:

"O consórcio e o Sindicato dos Rodoviários firmaram um acordo nesta manhã para normalizar a questão do pagamento aos funcionários da Auto Viação Bangu. A previsão é que a operação volte ao normal nas próximas horas, até o início da tarde. A frota da Bangu representa pouco mais de 10% da oferta de transporte para a população da região. A empresa encontra-se em dificuldades financeiras. No último ano, cinco empresas paralisaram as atividades devido à crise do setor, representando a demissão de 2 mil rodoviário"

Últimas de Rio De Janeiro