Grandes clubes do Rio e SP fecham o ano sem conquistas expressivas

Para mais de 100 milhões de torcedores, 2014 foi um ano que poderia não ter existido

Por O Dia

Botafogo foi rebaixado para a Série B de 2015Ernesto Carriço

São Paulo e Rio têm os maiores, mais vitoriosos e mais populares clubes do país. Porém, essa grandeza passou longe dos gramados em 2014. Dos oito grandes times dos dois estados, apenas o Flamengo tem algo a comemorar. De qualquer forma, o título Carioca é muito pouco para a grandeza do Rubro-Negro. Piores foram seus rivais de estado e os adversários do outro lado da Dutra. Pela primeira vez desde 1925 os grandes paulistas fecharam uma temporada sem levantar uma taça sequer. O que passou mais perto disso foi o Santos, que acabou derrotado na final do Paulista pelo bravo, porém modesto, Ituano. O chamado Trio de Ferro decepcionou. Sem títulos, São Paulo e Corinthians tiveram que se contentar com uma vaga para a Taça Libertadores, um prêmio de consolação para elencos tão caros e estrelados. Drama maior vive o Palmeiras. 

No ano de seu centenário e da inauguração da nova arena, o time precisa vencer o Atlético-PR na última rodada do campeonato para evitar o fantasma do terceiro rebaixamento em 12 anos. O time paulista luta para não ter o Botafogo como adversário na Série B de 2015. O alvinegro carioca sucumbiu à nefasta combinação de dívidas, salários atrasados e receitas bloqueadas pela Justiça e, com isso, amargou a segunda queda em sua história recente. Outro que precisa se cuidar é o Fluminense. Sem grande estrutura e com a diminuição das receitas da Unimed para o ano que vem, o tricolor correo risco de seguir o mesmo caminho de Palmeiras e Botafogo. Para mais de 100 milhões de torcedores, 2014 foi um ano que poderia não ter existido.

Palmeiras corre risco de vexame e prejuízo

Apesar do risco de mais um rebaixamento, a direção do Palmeiras quer manter o jogo contra o Atlético-PR, marcado para o próximo domingo, para a nova arena do clube, a Allianz Parque . O presidente Paulo Nobre fez o pedido ao futuro mandatário da CBF, Marco Polo Del Nero. O problema é que se houver quebra-quebra da torcida, a relação com a gestora do estádio, a WTorre, que já não é boa, só tende a piorar.

Nike “veste” pés de craques de branco

A Nike já entrou no clima das festas de fim de ano e da chegada de 2015. Inspirada no Réveillon, a marca apostou no branco como a cor predominante de sua nova coleção de chuteiras. Denominada Conquiste seu Brilho, a linha terá exemplares nesse matiz para os modelos Mercurial Superfly, Magista, Tiempo e Hypervenom. As chuteiras brancas estarão à venda a partir de 11/12 pelo site nike.com.

Número da semana

€ 266,5 mi: Esse é o valor de mercado somado dos três jogadores indicados pela Fifa para eleição do melhor do mundo em 2014. O mais caro é Lionel Messi, com valor estimado pela Pluri Consultoria em € 135,2 milhões. O gajo Cristiano Ronaldo vale cerca de € 98,1 milhões. O goleiro alemão campeão do mundo custa “módicos” € 33,2 milhões.

INVESTCRAQUE

Rubens Barrichello, ex-piloto de F-1 e novo campeão de Stock Car

Vinte e três anos. Esse foi o período que Rubens Barrichello esperou para poder arrancar o grito de campeão entalado na garganta. E o fez em alto estilo. Ao chegar em terceiro lugar na última etapa da temporada da Stock Car, disputada domingo passado em Curitiba, Rubinho encerrou um jejum de mais de duas décadas iniciado em 1991, com o título da Fórmula-3 inglesa. No ano seguinte ele iniciava sua carreira na Fórmula-1, onde pilotou para as equipes Jordan, Stewart, Ferrari, Brown GP e Williams. Foram anos de poucas vitórias e muitas gozações, principalmente no período que dividiu o cockpit com o alemão Michael Schumacher. Menos arrojado nos negócios do que nas pistas, Rubinho tem investido seu dinheiro na construção de um edifício comercial em Guarulhos, na grande São Paulo, e o restante diz estar pulverizado em CDBs e caderneta de poupança.

Últimas de _legado_Notícia