Espanha vive momento de forte incerteza política

Apesar de proibido, Catalunha realiza hoje plebiscito para se tornar independente

Por O Dia

Um clima de muita apreensão e incerteza política promete marcar a realização do plebiscito sobre a independência da região da Catalunha. Apesar de estar agendada para hoje, o Tribunal Constitucional da Espanha suspendeu a votação. As autoridades catalãs, no entanto, advertem que mesmo com a proibição vão manter o referendo. Ontem, manifestantes contra e a favor tomaram as ruas de diversas cidades espanholas.

Grupos favoráveis à independência da Catalunha protestaram com bandeiras catalãs e também empunharam faixas com a palavra 'si' sim, em Espanhol. Já os manifestantes contrários à separação ostentaram bandeiras da Espanha e desfilaram carregando faixas com mensagens como 'Catalunha é Espanha' e 'Viva Espanha', além de 'Prisão a Puigdemont', uma referência ao presidente catalão, Carles Puigdemont.

Ontem, último dia de campanha pela separação da região, o presidente da Catalunha Carles Puigdemont chegou a declarar que não vai voltar atrás na luta pelo direito de realizar o plebiscito, apesar da forte oposição do governo espanhol. Ele ainda destacou que a votação de hoje vai proporcionar aos cidadãos da região o direito de ter voz ativa, sendo reconhecidos internacionalmente. Já o governo da Espanha garante que o plebiscito é inconstitucional e ilegal, não podendo ser realizado, uma vez que a Constituição garante que o país é indivisível.

Desde 2015 os separatistas são maioria no Parlamento da Catalunha. Ao mesmo tempo, pesquisa recente demonstrou que a sociedade catalã está bastante dividida. Em junho, 49% eram contra a independência da região e 41% ficaram a favor da separação.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência