Mutirões de atendimento

Teleatendimento também não está funcionando. Cerca de 2.500 pessoas deixaram de fazer vistorias marcadas para ontem

Por GUSTAVO RIBEIRO

Sete postos de vistoria do Detran-RJ não abriram ontem devido a uma greve de funcionários terceirizados. Sem previsão de término, as paralisações afetam a unidade da Avenida Francisco Bicalho, no Centro do Rio, e seis no interior: Volta Redonda, Barra do Piraí, Resende, Angra dos Reis, Valença e Barra Mansa. O teleatendimento do órgão também está suspenso.

Segundo o Detran, 2.500 pessoas que tinham vistoria agendada para ontem foram prejudicadas. As paralisações começaram sexta-feira porque funcionários cedidos pela empresa Prol reclamam de salários e benefícios atrasados.

O presidente do Detran, Vinicius Farah, explicou que uma decisão administrativa do governo estadual impede a Prol de receber pagamentos de alguns órgãos e de participar de licitações até regularizar o FGTS e INSS de funcionários. Todos os contratos do Detran com a Prol sofrerão nova licitação este ano.

O Detran deve à Prol cerca de R$ 26 milhões. Farah estuda uma saída jurídica para quitar a dívida e evitar paralisações em outros postos. A Prol informou que os atrasados serão quitados quando o pagamento for regularizado.

Quem tenta ligar para o teleatendimento também não consegue. O Detran diz que está em dia com a Telco, prestadora do serviço. Já a Telco afirma não que recebeu pelos serviços de setembro e outubro. Farah recomenda o site do Detran como alternativa à paralisação e promete nova licitação para este ano.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro