Queda da Ponte tem cenas lamentáveis

Torcida invade campo após Vitória decretar virada por 3 a 2 e rebaixamento da Macaca. Jogo foi encerrado aos 39 do 2º tempo

Por O Dia

Policiais militares usam cassetetes para conter invasão de torcedores após parte do alambrado ser derrubada
Policiais militares usam cassetetes para conter invasão de torcedores após parte do alambrado ser derrubada - Eduardo Carmim/parceiro/Agência O Dia

O rebaixamento da Ponte Preta da Série B do Campeonato Brasileiro teve ares dramáticos e um fim violento no Moisés Lucarelli, em Campinas. Apesar de abrir 2 a 0 em 16 minutos de jogo, a Macaca sofreu a virada. Irritada com o resultado, parte da torcida derrubou parte do alambrado e invadiu o campo para tentar agredir os jogadores. Alguns deles procuraram refúgio até mesmo no vestiário da equipe baiana.

A Polícia Militar usou spray de pimenta, cassetetes e balas de borracha para controlar a situação e o estádio foi esvaziado. Após 40 minutos de espera, o árbitro deu o jogo interrompido aos 39 minutos do segundo tempo por encerrado por falta de segurança. Segundo o representante da partida, Aguinaldo Viena, o comando da PM não garantiu a segurança, principalmente por causa de incidentes fora do estádio.

O saldo da batalha foi de sete feridos quatro torcedores e três policiais e quatro presos. A procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) informou que está analisando as imagens e o estádio certamente será interditado.

O jogo teve um lance capital, que mudou seu curso: aos 20 minutos do primeiro tempo, o zagueiro pontepretano Rodrigo foi expulso ao agredir Tréllez de maneira obscena. O jogador saiu de campo criticado pelos próprios companheiros de time e muito xingado pelos torcedores.

"As autoridades têm que sentar à mesa e entender que eles têm peso muito grande nisso. O futebol brasileiro não pode mais viver assim. Falta bom senso, segurança. Não é possível vir a campo, fazer seu trabalho e ter a possibilidade de ser morto dentro de campo, ser pisoteado por uma torcida insatisfeita. Tem que ter mais segurança", disse Vagner Mancini, técnico do Vitória.

Comentários

Últimas de Esporte