O meia Everton Ribeiro trabalha forte na academia do Ninho do Urubu para voar na finalíssima
O meia Everton Ribeiro trabalha forte na academia do Ninho do Urubu para voar na finalíssimaGILVAN DE SOUZA / FLAMENGO
Por
Não é novidade que o Flamengo é mais forte jogando no Maracanã, mas, para a decisão da Copa Sul-Americana, o retrospecto é ainda mais animador. O Rubro-Negro está invicto há dois anos no estádio, onde nunca perdeu para o Independiente, o que alimenta as esperanças do torcedor para a partida de amanhã: são quatro vitórias e um empate diante dos argentinos.
Depois de perder por 2 a 1 em Avellaneda, o Flamengo precisa vencer por pelo menos dois gols de diferença para ser campeão. Tarefa difícil, mas bem possível pela história do confronto. Das quatro vitórias rubro-negras no Maracanã, três terminaram em goleada, com destaque para um 6 a 1, em 1970. A única derrota no Rio foi justamente no primeiro confronto entres as equipes. O Independiente venceu por 1 a 0, em 1939, mas em São Januário.
Publicidade
Apesar desse retrospecto animador, um sinal de alerta: a única final em que as equipes se enfrentaram não traz boas lembranças aos rubro-negros. Pela Copa Mercosul de 1995, os argentinos fizeram a festa em pleno Maracanã conquistando o título mesmo perdendo por 1 a 0, já que haviam vencido por 2 a 0 em Buenos Aires.
'Rei de Copas', o Independiente ainda conquistou a Sul-Americana em 2010, enquanto o Rubro-Negro não fatura um título internacional há 18 anos, quando bateu o Palmeiras na final da Copa Mercosul, em 1999. Naquela campanha, os atuais finalistas se enfrentaram nas quartas de final, e o Flamengo levou a melhor ao aplicar 4 a 0 no Maracanã, após empatar em 1 a 1 na Argentina, e avançou à semifinal.
Publicidade
Mais uma feliz coincidência a favor dos rubro-negros, que chegam à terceira final nesta temporada. Após o título do Estadual e o vice na Copa do Brasil, o Flamengo terá nova chance de levantar um troféu. E Everton Ribeiro, que chegou no meio do ano, vive a expectativa do primeiro título no clube, e logo em sua primeira decisão.
"Este ano era um objetivo quando cheguei. Todos tinham expectativa de conseguir títulos, chegar nas finais. Agora, o mais importante é sentir o clima e levantar essa taça para o Flamengo", disse.