Polícia faz mega operação para combater à pedofilia na internet em São Paulo

Mais de 350 agentes cumprem 78 mandados de prisão, busca e apreensão em 40 cidades. Entre os suspeitos estão advogados, comerciantes, agente penitenciário e até pastor de igreja

Por O Dia

São Paulo - Agentes da Polícia Civil de São Paulo realizam desde o começo da manhã desta sexta-feira uma mega operação para combater à pedofilia na internet em todo o Estado. Até às 10h50 pelo menos 30 pessoas já haviam sido presas. Advogados, comerciantes, um agente penitenciário, um pastor de uma igreja evangélica e até um idoso de cerca de 70 anos estariam entre os suspeitos a serem detidos.

Polícia faz operação de combate à pedofilia na região de Araçatuba%2C no interior paulistaReprodução

De acordo com as primeiras informações, são alvos da polícia pelo menos 78 pessoas de 40 cidades de São Paulo — entre elas São José do Rio Preto, Araçatuba, Presidente Prudente e Bauru. Batizada de operação "Peter Pan", a ação começou por volta das 6h e cerca de 350 policiais cumprem os mandados de prisão. Os nomes dos presos não foram divulgados.

Polícia apreendeu dois notebooks com vídeos pornográficos com crianças Reprodução

A investigação

Os suspeitos começaram a ser monitorados em abril, após o compartilhamento de vídeos contendo sexo com menores de idade. De acordo com a Polícia Civil, os acusados participavam de sites exclusivos com esse tipo de conteúdo dentro da chamada "internet pirata". No Brasil é crime distribuir, manter ou até mesmo armazenar conteúdo contendo pornografia infantil.  

Os suspeitos começaram a ser monitorados em abril%2C após o compartilhamento de vídeos contendo sexo com menores de idadeReprodução

A pena para o crime de posse de material pornográfico infantil é de um a quatro anos de prisão. Já a pena para quem compartilha o material é de três a seis anos. No caso de serem comprovados os dois crimes, as penas se somam. O crime é inafiançável. 

Últimas de Brasil