Colégio faz atividade ironizando profissões

Dinâmica consistiu em incentivar os alunos do terceiro ano do ensino médio a se vestirem com roupas características de profissões que não exigem nível superior

Por O Dia

Rio Grande do Sul - Uma atividade no recreio de uma escola em Novo Hamburgo (RS) atraiu uma enxurrada de críticas nas redes sociais desde a manhã desta segunda-feira. Batizada de ‘Se nada der certo’, a dinâmica consistiu em incentivar os alunos do terceiro ano do ensino médio a se vestirem com roupas características de prodissões que não exigem nível superior, como camelôs, garçons, atendentes de lanchonete, vendedoras de cosméticos e faxineiros.

Colégio faz atividade ironizando profissõesReprodução Facebook

Assim que as fotos da atividade começaram a circular pelas redes sociais, a página da escola foi inundada de avaliações negativas, muitas delas acusando a escola de elitismo e discriminação.

Por volta de 11h de ontem, o Instituição Evagélica de Novo Hamburgo (IENH) publicou em sua página do Facebook uma “nota de esclarecimento” sobre a atividade, que foi realizada em 17 de maio, afirmando que “em momento algum teve a intenção de discriminar determinadas profissões”.

Segundo a escola, o objetivo “de forma alguma foi fazer referência ao 'não dar certo na vida'”.

“Atividades como essa auxiliam na sensibilização dos alunos quanto a conscientização da importância de pensar alternativas no caso de não sucesso no vestibular”, disse a nota, negando ter discriminado qualquer profissão. 

Últimas de Brasil