Playground artístico invade bairros do Rio

Terceira edição da 'OiR Play' acontece a partir de sábado, dia 16

Por O Dia

Rio - Imagina se pendurar em uma estrutura de bambu que te permite escalar na Praça do Ó. Ou correr ao lado de um muro de tubos, em Madureira, que toca música com um movimento seu. E se aventurar em uma rampa de skate que também permite descanso para transeuntes em plena Praça Marechal Âncora. Essas são as propostas da terceira edição do OiR Play (Outras Ideias para o Rio), mostra de arte pública, que acontece a partir de sábado, as duas primeiras atividades, e dia 6 de agosto, a última. Todas até o dia 18 de setembro.

Bambus na Praça do ÓDivulgação

A artista plástica Mana Bernardes é a responsável pelo Circuito de Merkabahs, que foi inspirado em uma atividade física conhecida como Integral Bambu. Nela, são permitidos diversos exercícios a partir de uma estrutura de bambu. “É indicada para todos sem exceção e independentemente do condicionamento físico. Pode treinar força, flexibilidade, relaxamento e equilíbrio. Só saber usar com cautela para que seu corpo se adapte ao bambu”, salienta Mana.

A 25 quilômetros da Praça do Ó, no bairro de Madureira, uma atração do arquiteto Leandro Erlich chamará a atenção dos frequentadores do Parque Madureira: a Corrida Musical. Nela, um muro de tubos metálicos, em um percurso de quase um quilômetro, toca a Nona Sinfonia de Beethoven quando o visitante bate nela com uma baqueta, percorrendo sua extensão.

E na Praça Marechal Âncora, próxima da Praça 15, o coletivo AVAF, formado pelo duo Eli Sudbrack e Christophe Hamaide Pierson, preparou uma surpresa para skatistas e transeuntes: a Perimetrava. A obra remete à demolição do Elevado da Perimetral e busca homenagear os skatistas que usam o local para a prática do esporte. “Achei importante fazer homenagem a uma comunidade existente e incentivar a prática do skate. Acho importantíssimo realçar a existência da prática de um esporte que admiro muito naquela área”, explica Sudbrack. Quando o artista é perguntado se gostaria que sua obra permanecesse na cidade, Sudbrack é categórico: “Isso seria uma honra pra mim”. 

Últimas de Diversão