Em ‘Chapa Quente’, personagem de Oscar Magrini é rico e tem pegada

Bom partido conquista Marlene e deixa Genésio na maior dor de cotovelo

Por O Dia

Rio - A fila andou no ‘Chapa Quente’. E a equipe do DIA, que acompanhou as gravações do seriado na sexta-feira, 17, é testemunha disso. Genésio (Leandro Hassum) é coisa do passado na vida da Marlene (Ingrid Guimarães). E agora quem anda fazendo barba, cabelo e bigode no salão da cabeleireira mais famosa de São Gonçalo é Nelson, personagem de Oscar Magrini, que acaba de entrar no elenco do humorístico da Globo, no ar nas noites de quinta-feira. “Eu já cheguei chegando. O Nelson é bacana, não é homem de pisar na bola, ama a Marlene, tem um posto de gasolina e está bancando o salão dela, ou seja, é bem diferente do Genésio, que é um cara encostado. O Nelson tem dinheiro, pegada. Já o outro só enrola”, diz Magrini. 

Oscar Magrini e Ingrid Guimarães em cena de 'Chapa Quente'Divulgação


No mercado em que homem bom é artigo de luxo, Marlene parece ter tirado a sorte grande. “O Nelson é o homem que toda mulher quer, é bofe de raiz (risos). Ele é um cara sério, que só quer coisa séria, enfim, é um tipo de homem que está em falta (risos). Ainda por cima, é dono de posto de gasolina, tem moto e é rico! Assim fica difícil para o Genésio”, brinca Ingrid, que completa: “O Nelson foi o primeiro amor da Marlene, então, a paixão reacendeu agora que ele reapareceu.”

Bom partido Nelson é. Mas, apesar da aparente perfeição, o empresário carrega um ‘pacote’ bem pesado. Ele tem uma ex-mulher maluca, vivida por Thalita Carauta. “A Selma já me deu até tesourada (risos). Ex-mulher é para sempre, tem que saber levar, conduzir. Não é fácil. Mas, graças a Deus, eu não tenho esse problema. Esses mês, eu e a dona Matilde (Mastrangi) completamos 25 anos de casados”, comemora Magrini, que segue defendendo o personagem. “O Nelson é solar, geração saúde, pratica esportes radicais, enfim, é um ‘gatoso’ (gato idoso) executivo e que tem um estilo de vida muito legal. Não vai ser a Selma que vai tirar a Marlene da vida dele.”

Se não é Selma, pode ser Genésio. Novo sócio do Jurema Hall (casa de shows), o ex-desempregado profissional está dando um novo rumo na sua vida para reconquistar a amada. “O Genésio dá uma virada por amor. Ele está sofrendo, porque não é agradável em situação nenhuma ver a pessoa que você ama com outro, então, ele quer se superar para ficar com a Marlene de novo. O sofrimento do Genésio está servindo de mola propulsora para que ele busque formas de reconquistar esse amor. É claro que o novo é encantador e, queira ou não, o cara é boa pinta, chega junto. Mas o amor vai vencer no final”, torce Hassum.

Nem a concorrência financeira mete medo no intérprete de Genésio, que não concorda com a tese popular de que quem gosta de homem é gay e que mulher gosta mesmo é de dinheiro. “Imagina, isso é um absurdo. Dinheiro não sustenta casamento, nem filho. O que sustenta casamento é cumplicidade e amor. Logicamente, quando se passa por uma crise financeira ou qualquer outro tipo de crise, se não tiver esses elementos muito fortalecidos, a coisa pode desandar. Tem casais que se amam e que estão na m... juntos, dando força um para o outro. Quando eu conheci minha mulher (Karina Gomes), éramos dois duros. Me lembro que, quando a gente namorava e chovia, ela me levava no ponto de ônibus segurando o guarda-chuva e ficava esperando eu entrar para eu não me molhar. É essa cumplicidade, é esse guarda-chuva, que até hoje eu sei que eu tenho. E ela também sabe que tem o meu guarda-chuva. Esse é o grande barato do amor”, derrete-se Hassum, que está casado há 17 anos.

O fato é que não está fácil para Hassum derrubar Magrini no ‘Chapa Quente’. Parte do público torce para que o romance recém-iniciado entre Marlene e Nelson tenha vida longa. “As mulheres comentam que entendem a Marlene, já os homens pedem para eu voltar com o Genésio. Eu e Lelê ficamos muito tristes de separar e estou torcendo para que eles fiquem juntos. Só que a escolha do Oscar Magrini foi perfeita. Ele tem todo um jeito de galã. Tem cara de homem, sabe? Costumo dizer para as pessoas que não sei do futuro da Marlene, mas sei que ninguém manda no coração. Quase toda mulher tem o dedo podre, e a Marlene não é diferente, ainda gosta do Genésio, né?”. brinca.

Hassum dá pistas sobre o que Genésio tem que Nelson não tem. “O que sempre segurou o relacionamento dos dois foi o sexo, o corpo, o amor, o cheiro, a pegada. O outro lado, o profissional, é que atrapalhou. Mas sexo é fundamental. Se o beijo é bom, você já fala ‘opa, quero ir adiante’.”

Últimas de Televisão