Nelson Vasconcelos: Está na hora de pensar no seu site

Segundo estudo do Google, o e-commerce do varejo brasileiro cresce 12,4% ao ano

Por O Dia

Rio - Se você tem uma lojinha, não tem como escapar de criar um site. Mais do que isso, ele precisa se tornar uma loja virtual que permita que as vendas sejam feitas por meio de smartphones. Quem diz isso é a Google.

Segundo estudo da empresa divulgado esta semana, o e-commerce do varejo brasileiro cresce 12,4% ao ano. Diz também que 27 milhões de brasileiros estão para fazer sua primeira compra online, chegando a um total de 67,4 milhões de consumidores digitais no país em 2021. Como se sabe, depois que começam a comprar online, eles não param mais.

Mas é aí que está um detalhe bem importante: pelo menos 30% dos consumidores, hoje, acessam a internet somente através dos seus smartphones. Este ano, por exemplo, 19% de todas as vendas serão feitas nos celulares. Acho que o uso exclusivo dos aparelhos móveis uma pena, porque significa que a rede não é usada em toda a sua potencialidade cultural e educativa, mas essa seria outra história.

Uma boa ideia para ser copiada

Parece que muita gente não percebe isso, mas a tecnologia tem que servir para ajudar o ser humano, e não só para passar o tempo. Um bom exemplo vem agora de Ruanda, um país africano com inúmeras dificuldades, mas que está usando drones (não tripulados, claro) para abastecer hospitais mais longe das capitais.

Eles voam a até 150 quilômetros de sua base, a 152 metros de altura, para entregar sangue, plasma, coagulantes e outros materiais. O pacote é entregue via paraquedas, o que facilita muito a vida dos operadores dos drones. Taí uma boa ideia que pode muito bem ser copiada por aqui.

Rainha do bumbum vai para o Youtube

E a Gretchen, hein? A não-cantora, que faz tudo para aparecer, agora se tornou uma youtuber, ou seja, abriu um canal no YouTube, onde mostra seus vídeos falando pelos cotovelos, dando dicas de emagrecimento etc. Não deixa de ser curioso.

É mais uma prova de que o YT pode ser bom caminho para quem pretende chegar à fama. Já a Kéfera, que tem nada menos que 9,6 milhões de inscritos no seu canal, acaba de anunciar que vai dar um tempo na brincadeira. Será que cansou da exposição excessiva? Ou faz parte do negócio? Ela não tem tido do que reclamar.

Últimas de Economia