Vale do Café elabora roteiro turístico de verão

Viagem ao passado tem foco no Brasil Imperial e pode durar cinco dias

Por O Dia

Rio - Imagine estar em meio a recitais de música e saraus históricos em fazendas que preservam a arquitetura do século XIX. Ou ser servido por um banquete em meio a pessoas com roupas que parecem ter saído do figurino de um filme de época, próximo às ruínas de senzalas, construídas no Brasil Imperial. Esse tipo de experiência faz parte de um roteiro turístico alternativo para visitantes que não querem ficar apenas no cartão-postal do Rio. A 150 quilômetros da capital, a região do Vale do Café, que já foi responsável pela maior produção cafeeira do país, começou a receber visitantes em fazendas históricas neste mês.

Roteiro tem expectativa de ocupação de mais de 60% da rede hoteleira até fevereiroDivulgação

A maioria dos locais envolvidos na iniciativa possui certificado do Sebrae-RJ, com selo de Tour da Experiência Caminhos do Brasil Imperial e preços especiais para o verão, que variam de R$ 120 a R$ 174 por dia, incluindo refeições. Também há pacotes de hospedagens com diárias reduzidas, medidas adotadas para atrair visitantes em meio à crise.

A expectativa é manter a média de ocupação na rede hoteleira acima dos 60% até fevereiro de 2007, que inclui 162 apartamentos em Vassouras, Rio das Flores e Barra do Piraí, municípios que integram o roteiro com visitas de segunda a sexta-feira. Ao todo, 13 empreendimentos turísticos estão no roteiro de visitas guiadas, incluindo fazendas históricas, pousadas, hotéis, restaurantes, alambique e loja de artesanato. O planejamento desse projeto começou a ser articulado há um ano. A região foi a maior produtora de café do país no século XIX e é composta por autênticos palacetes rurais e construções de aspecto colonial rústico.

Na segunda-feira, o roteiro oferece visita à Fazenda Alliança, em Barra do Piraí, onde há um pomar de frutas exóticas. O passeio ainda inclui passagem pela Fazenda Santa Eufrásia, única tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), que conserva o cultivo de pés de café.

Visitas são de segunda a sexta-feira. Valores variam de R%24 120 a R%24 174 por diaDivulgação

Na terça, o cronograma oferece visitação às ruínas da senzala e a um acervo de objetos que remetem ao Brasil Imperial. Na quarta-feira, uma programação que inclui visita à Fazenda do Paraízo, em Rio das Flores, escolhida como locação de novelas e filmes. Na quinta, um passeio pela Cachaçaria Werneck, também em Rio das Flores, que utiliza produção de cana própria. E na sexta, uma visita à Fazenda Vista Alegre, em Valença, sede da primeira escola de filhos de escravos no país.

GRÃOS E ORGÂNICOS

Nas segundas-feiras, a visita começa na Fazenda Alliança, em Barra do Piraí, uma das poucas com produção 100% orgânica certificada. A única do estado especializada em búfalas, a fazenda tem horta e pomar de frutas exóticas, que os visitantes podem adquirir no sistema ‘colha e pague’. Para agendar, ligar para (24) 2471-1993.

SENZALA

Nas terças-feiras, a primeira parada é na Fazenda Ponte Alta, em Barra do Piraí, onde há ruínas de uma senzala. O roteiro ainda inclui a Fazenda Cachoeira Grande, que já recebeu a Princesa Isabel. Agendamentos: (24) 2471-7007.

ARTE E HISTÓRIA

Nas quartas, visita à Fazenda Paraízo, escolhida como locação de novelas e filmes. Interessados, ligar para (24) 2431-9900.

CAFÉ E CACHAÇA

Nas quintas-feiras, uma parada no alambique da Cachaçaria Werneck, em Rio das Flores. Agendar pelo telefone (24) 2491 2535.

SABORES E SABERES

A sexta-feira é o dia no roteiro destinado à degustação de tilápias e a uma visita à Fazenda Vista Alegre, em Barra do Piraí, sede de saraus para figuras importantes no século XIX. Ligar para (24) 2431-9900.

Últimas de Economia