Antecipar restituição do Imposto de Renda só para pagar dívida

Especialistas recomendam cuidado: empréstimo deve ser usado para quitar débitos com juros mais altos

Por O Dia

Rio - A três dias para o fim do prazo da entrega das declarações do Imposto de Renda deste ano, os contribuintes que têm direito à restituição do IR podem optar por antecipar o valor nos bancos. De acordo com especialistas consultados pelo DIA, o caminho é indicado para quem tem dívidas com juros altos e pretende saldar as contas atrasadas, como cheque especial ou do rotativo do cartão de crédito que ficam em torno de 14%.

Em contrapartida, as taxas média das antecipações ficam em 3,5% ao mês, de acordo com o vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), Miguel de Oliveira.  O adiantamento é um empréstimo que envolve juros e, por isso, é preciso ter cuidado, explica o economista Gilberto Braga, do Ibmec. 

Gestora social%2C Vera Miranda não antecipará a restituição do imposto. Para ela%2C operação vale a pena para quem tem dívida a ser quitadaCristiane Vianna Amaral / Divulgação

“A restituição antecipada é vantagem para quem tem dívidas e precisa pagá-las com pressa. É interessante fazer a restituição, pois você troca por outra mais barata com juros mais baixos”, orienta.

Braga explica que o valor da restituição que os bancos oferecem nem sempre chega a 100% do total, geralmente fica em torno de 85%. O restante é a diferença que o cliente pagará de juros. “Em média, se o cliente tem R$ 1 mil de restituição deverá pagar cerca de R$ 150 de juros, dependendo das condições dos juros”, diz o especialista.

O Bradesco informou que a taxa cobrada está a partir de 2% ao mês e os clientes poderão antecipar em até 100% o valor da restituição. No Banco do Brasil, 4.825 mil clientes no Rio anteciparam R$14 milhões de desembolso. Os juros começam em 2,11% ao mês até 4,18% ao mês. Já no Santander, os números podem variar de 2,59% a 4,59% ao mês.

Para fazer a restituição, a pessoa precisa entregar a declaração do IR para a Receita. Depois. Os especialistas destacam, no entanto, que o contribuinte precisar ficar atento, pois se cair na malha fina, só receberá o dinheiro quando acertar a vida com o o Fisco.

“Se a pessoa cai na malha fina, a pessoa terá que pagar os juros do empréstimo e pagar em condições mais pesadas”, ressalta Braga. A gestora social Vera Miranda, 54 anos, não pensa em antecipar. “Acho que só quem tem dívidas no especial, porque o valor pode ajudar a pagar as contas atrasadas”, alega. 

Veja as taxas dos bancos para quem precisa antecipar o valor

Bradesco: Juros a partir de 2% ao mês. Clientes poderão antecipar até 100% do valor da restituição. O empréstimo deverá ser quitado em única parcela. O prazo limite para pagar é 15 de dezembro. Valor máximo de financiamento é de R$ 20 mil.

Banco do Brasil: Juros de 2,11% até 4,18% ao mês. Antecipa até 100% do valor. O cliente tem que pagar o empréstimo na data da restituição ou quando vencer o contrato em 15 de janeiro de 2018.

Santander: Taxas de 2,59% a 4,59% ao mês. Até 100% da restituição. Prazo para contratação é 31 de outubro. Limite de antecipação: de R$ 100 a R$ 20 mil.

Caixa Econômica: Juros de 2,10% ao mês. O cliente tem até 75% do valor a receber. O pagamento do empréstimo é debitado em conta corrente, quando for creditada a restituição ou no dia 30 de dezembro.

Citibank: Juros de 2,49% ao mês. Limite do crédito é de R$500 a R$10.500 antecipando até 70% do valor. Prazo do pagamento, em única parcela, é em 15 de dezembro.

Reportagem da estagiária Marina Cardoso com supervisão de Max Leone

Últimas de Economia