Flamengo sofre no setor de criação e fica no zero a zero com o Shakhtar

Time titular do Rubro-Negro passa em branco de novo

Por O Dia

Brasília - O Flamengo versão 2015 fez mais um teste. Ainda à procura do entrosamento ideal, o Rubro-Negro sofreu no setor de criação - não à toa busca um camisa 10 - e ficou no 0 a 0 com o Shakhtar Donetsk, neste domingo, no Mané Garrincha, em Brasília. O Fla titular ainda não fez gol na temporada. Contra o Red Bull Brasil, Nixon fez o gol de empate.

Marcelo Cirino teve duas chances%2C mas não conseguiu marcarGilvan de Souza / FlaImagem

Contra o Shakhtar, Luxemburgo apostou novamente em Marcelo Cirino como referência na frente, mas com liberdade para cair pela direita. Ele teve as melhores chances no primeiro tempo. Porém, parou no goleiro e na zaga ucraniana. Eduardo da Silva atuou mais centralizado pelo meio. O brasileiro naturalizado croata teve uma atuação discreta e um gol anulado.

FOTOGALERIA: As imagens do amistoso entre Flamengo e Shakhtar

Eduardo da Silva, que defendeu o Shakhtar, foi homenageado e recebeu uma camisa com o número 113, quantidade de jogos que fez pelo time ucraniano, do ex-clube. Zico deu o pontapé inicial do amistoso.

O Flamengo volta a campo na quarta-feira, pelo Torneio Super Series, em Manaus. O Rubro-Negro vai encarar o rival Vasco. O São Paulo também disputará a competição.

O jogo

O Flamengo começou o duelo com o time titular, formado com: Paulo Victor; Léo Moura, Wallace, Samir e Anderson Pico; Cáceres, Canteros e Everton; Gabriel, Eduardo da Silva e Marcelo Cirino. O Rubro-Negro tomou a iniciativa do jogo e logo assustou com Everton. Porém, o Shakhtar assumiu o controle da partida.

O clube ucraniano passou a ameaçar o Flamengo. Paulo Victor teve de mostrar serviço. O goleiro rubro-negro fez quatro defesas difíceis e salvou o time. O clube carioca encontrava dificuldade para criar e apostava nas jogadas pelas laterais.

Arthur Maia demonstrou vontade e quase fez um gol%2C mas placar de 0 a 0 persistiu no placarGilvan de Souza / FlaImagem

O Flamengo melhorou no fim do primeiro tempo. Após cruzamento de Anderson Pico, Eduardo da Silva, ex-jogador do Shakhtar marcou, mas a arbitragem anulou o lance alegando empurrão do atacante na zaga ucraniana. Depois, Marcelo Cirino se aproveitou de vacilo rival e tocou na saída do goleiro. A zaga do Shakhtar cortou praticamente em cima da linha. A bola iria na trave. O principal reforço rubro-negro teve outra chance. Ele arrancou e foi travado na primeira finalização, mas continuou com a bola e ficou cara a cara com o goleiro, que tirou com o pé esquerdo, evitando o gol do Fla.

O Rubro-Negro voltou com quatro alterações para o segundo tempo: Pará, Márcio Araújo, Arthur Maia e Nixon. Saíram Léo Moura, Cáceres, Eduardo da Silva e Gabriel. Candidato ao posto de meia, Arthur Maia quase marcou. Ele puxou contra-ataque e arriscou, mas o goleiro do Shakhtar defendeu.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

A resposta ucraniana quase resultou em gol. Após rebote de Paulo Victor, Luiz Adriano acertou o travessão. Luxa mudou o restante do time. César, Thallyson, Bressan, Marcelo, Luiz Antonio, Mugni e Alecsandro entraram.

César foi logo testado e precisou salvar o Flamengo. O clube carioca também assustou. Alecsandro, de letra, tocou para Luiz Antonio. O volante chutou de fora da área. O goleiro do Shakhtar espalmou. Depois, foi a vez de César trabalhar duas vezes. O 0 a 0 persistiu no placar.