Rodrigo Caetano dá detalhes da invasão de torcedores e repudia: 'Lamentável'

Dirigente do Flamengo tenta encerrar assunto no Ninho

Por O Dia

Rio - A invasão de oito torcedores, na segunda-feira, no Ninho do Urubu, ainda repercute no Flamengo. Após a nota oficial de repúdio, foi a vez de o diretor de futebol Rodrigo Caetano falar sobre o assunto, na tentativa de colocar um ponto final na questão. O dirigente contou como foi o contato com o grupo de uma organizada.

Torcedores do Flamengo invadiram o CT do Flamengo na manhã desta segunda-feiraVitor Machado / Agência O DIA

"Quando estávamos para iniciar o treino, em reunião pós-jogo, como sempre fazemos, soubemos que tinha um grupo de torcedores lá fora. Recebi uma ligação por telefone, foi dito que gostariam de falar com os jogadores. Óbvio que foi negado", disse Rodrigo Caetano, nesta terça, no Ninho do Urubu.

Rodrigo Caetano bateu na tecla de que houve invasão ao CT: "Por que eu teria atitude de liberar a entrada destes torcedores? Estou há muito tempo no futebol, não gosto de dúvidas. Tentei demovê-los da ideia. Não consegui, fui muito claro; 'Se vocês forem entrar, vamos tomar providências'. Quando fomos aumentar a segurança, eles já aqui estavam. Não houve interferência no treino do Flamengo."

Com os torcedores no Ninho, a decisão foi permitir uma conversa com alguns jogadores: "Para que eles saíssem, quatro, cinco atletas tiveram uma conversa com eles, cerca de 20 minutos. A conversa foi dentro de algo razoável. Nós já tínhamos segurança suficiente para que a situação não fugisse ao controle", afirmou o dirigente, que também condenou o episódio:

"Foi um ato lamentável. Episódio lamentável, infelizmente corriqueiro. Cada semana vemos um CT invadido, reunião com torcida que se diz organizada."