Ativista de movimento pró-armamento é baleada pelo filho de 4 anos

A pistola calibre 45 estava carregada dentro do carro; bala atravessou o banco e atingiu as costas da mulher

Por O Dia

Nova York - Uma ativista do movimento pró-armamento nos Estados Unidos foi baleada acidentalmente pelo seu próprio filho de quatro anos. O caso aconteceu na última terça-feira, no condado de Putnam, em Nova York. Jamie Gilt, de 31 anos, foi baleada pelas costas.

O menino teria encontrado a arma que estava carregada, em algum lugar dentro do carro. Do banco de trás da pick-up, a criança apontou a pistola calibre 45 e disparou. A bala perfurou o banco da motorista e atravessou as costas de Gilt.

Ativista tem pagina no Facebook onde defende o armamento da populaçãoReprodução Facebook

De acordo com o Daily News, a mulher sobreviveu e sua condição é estável. Jamie possui uma página no Facebook onde aborda questões sobre armamento e expressa sua opinião favorável ao tema. Mesmo após o ocorrido, a ativista deixa claro em todas as postagens que é a favor de manter a população armada.

A polícia e o Departamento de Crianças e Famílias da cidade estão investigando o caso. Detetives tentam identificar a localização da arma no veículo, o que definiria se houve negligência da mãe ao guardá-la.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência