Atentado mata cerca de 80 em Bagdá; Estado Islâmico reivindica ataque

Um suicida detonou o veículo que conduzia no meio de uma multidão reunida perto da sorveteria

Por O Dia

Bagdá - Pelo menos 80 pessoas morreram e 135 ficaram feridas em um atentado com um carro-bomba realizado nesta madrugada em uma área comercial do centro de Bagdá. A ação foi reivindicada pelo grupo terrorista Estado Islâmico.

Um suicida detonou o veículo que conduzia no meio de uma multidão reunida perto da sorveteria Yabar Abu al Sharbat, localizada na região de Al Karrada, informou uma fonte da polícia. A sorveteria mais popular e antiga da capital iraquiana estava lotada no início da madrugada (por volta de 19h de sábado, horário de Brasília) devido ao calor e ao mês sagrado do Ramadã, quando os moradores do local costumam ficar até mais tarde na rua.

A explosão destruiu e incendiou várias lojas em Al Karrada, onde a maioria da população é xiita. O EI assumiu a autoria do atentado em comunicado assinado e divulgado nas redes sociais, no qual garantiu que o alvo eram os xiitas. No comunicado, o grupo terrorista afirma que "com a permissão de Deus continuará prosseguindo os renegados".

O primeiro-ministro iraquiano, Haidar al Abadi, foi para o local do atentado e afirmou que os terroristas, "após terem sido esmagados nos campos de batalha, cometem ataques com explosivos em uma tentativa desesperada". A população não recebeu bem a visita do chefe do governo e arremessou pedras contra a comitiva.

Segunda explosão

Outro carro bomba explodiu no mercado popular Shalal, situado na região de Al Shaab, nordeste de Bagdá,  e com população também majoritariamente xiita. Este atentado causou a morte de um civil e feriu a cinco, além de danificar várias lojas.

O Iraque trava uma luta contra o EI desde junho de 2014, quando o grupo terrorista assumiu amplas regiões do norte e do centro do país e proclamou um califado.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência