Jornalista argelina é ferida após ataque do Estado Islâmico no Iraque

Atentado aconteceu perto da cidade de Tal Afar, a 60 quilômetros de Mossul

Por O Dia

Bagdá - Uma jornalista argelina foi ferida na cabeça após ser atingida por um disparo de um atirador do grupo terrorista Estado Islâmico ao oeste da cidade iraquiana de Mossul, informaram nesta segunda-feira as milícias pró-governo Multidão Popular.

Samira Mouaqi Dadi trabalha na equipe de informação de "Multidão Popular" e acompanhava as tropas destas milícias em seus combates contra o grupo terrorista perto da cidade de Tal Afar, a 60 quilômetros ao oeste de Mossul. "A Multidão Popular" coordenou com a aviação do Exército iraquiano a evacuação de Dadi a um hospital de Bagdá, segundo um comunicado do grupo de milícias, que é liderado por xiitas.

O comunicado não forneceu mais dados sobre o estado de saúde da jornalista que, previamente, trabalhou cobrindo as operações do Exército iraquiano contra o Estado Islâmico.

Segundo a "Multidão Popular", Dadi tinha recebido ameaças de grupos radicais e as autoridades argelinas proibiram seu acesso ao país, embora não tenha explicado o motivo. Em outro comunicado, a "Multidão Popular" afirmou que o grupo terrorista realizou neste domingo um ataque contra suas forças nas zonas Ain Taui, Ain Al Hosan e Al Sharayea, ao oeste de Mossul, no qual utilizou tanques pela primeira vez.

Segundo esse comunicado, as milícias pró-governo mataram 50 jihadistas, dos cerca de 200 que participaram do ataque, destruíram 15 carros-bomba e se apoderaram de um veículo com uma metralhadora, assim como algumas armas dos terroristas que deixaram para trás em sua fuga.

A "Multidão Popular" está desdobrada nas comarcas ao oeste de Mossul, enquanto o Exército e a Polícia iraquianos e outras milícias se encarregam da ofensiva contra o EI nessa cidade.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência